Tico Santa Cruz conta detalhes de como surgiu o “Xô, Vampirão”

Grupo de músicos, ativistas e políticos gravaram a música "Xô, Vampirão", no improviso, pedindo a saída de Michel Temer da presidência.

399 0

“Nós não temos vínculo e nem estamos sendo manipulados por ninguém”, afirmou o cantor, que faz parte do grupo formado por músicos, ativistas e políticos que compôs a música “Xô, Vampirão”, pedindo a saída de Michel Temer da presidência. De acordo com Tico, não há planos de fazer um clipe, conforme vem circulando na imprensa

Por Ivan Longo

Tem corrido pelas redes sociais, desde a semana passada, vídeos na casa da produtora Paula Lavigne de artistas, ativistas e políticos improvisando versos políticos em um samba que pede a saída do presidente Michel Temer da presidência. O improviso se tornou uma música, batizada de “Xô, Vampirão”.

O vocalista do Detonautas, Tico Santa Cruz, é um dos que têm participado dos encontros que resultou na música que viralizou nas redes sociais. Ele contou detalhes de como surgiu a ideia e negou a informação divulgada pelo jornal O Globo esta semana de que o grupo estaria preparando a produção de um clipe para o samba, que teria como convidada especial a cantora Anitta.

“Não existe um ‘clipe’ de ‘Xô, Vampirão’. O que aconteceu foi uma filmagem onde o Xande de Pilares fez um improviso junto com outro sambista chamado Mosquito e nesse dia estavam alguns artistas reunidos na casa da Paula e do Caetano. O improviso ficou legal e acabou virando um vídeo que foi postado pela Paula Lavigne no Facebook”, contou.

“Esse polêmico clipe nada mais foi do que um registro dos artistas presentes nesta mais recente reunião, principalmente os sambistas, improvisando rimas com teor político de provocação, com o coro de todos os presentes. A ideia surgiu, como falei, num dos outros encontros de uma brincadeira dos presentes. Não tem absolutamente nenhuma proposta para ser uma super produção com participação da Anitta e chancela da Globo”, completou Santa Cruz, em referência as especulações de que a Globo poderia querer se aproveitar da música, já que a emissora vem, agora, num evidente movimento de apoiar a saída de Temer da presidência.

Sobre o fato de a Globo estar apoiando agora uma queda de Temer, o cantor foi enfático: “A Globo está fazendo o papel dela, defender os interesses que lhe pertencem. Nós não temos vínculo e nem estamos sendo manipulados por ninguém”, disse.

Para o músico, a pauta das “diretas já” não unificou a população e, por isso, o foco hoje para ele é lutar pela saída de Temer e contra as “reformas” que estão em curso no Congresso Nacional.

“Com Temer lá, toda e qualquer movimentação deve ser no sentido de afastá-lo. Não existe nenhuma hipótese viável que faça com que as ‘diretas já’ se realizem. Elas têm um valor simbólico importante, mas a pauta não mobilizou parte importante da população, e o trâmite de uma possível ‘diretas já’ depende de uma votação no mesmo Congresso Nacional que quer eleger Maia”, pontuou.

“Logo, como conseguiríamos ‘diretas já’ sem um apoio em massa da população e sem uma PEC que nos desse essa chance? O caminho natural dessa lama que se transformou o país após o impeachment é que o poder caia nas mãos de algum dos representantes do golpe, foi pra isso que eles fizeram esse movimento. Eu sou totalmente favorável e luto pelas ‘diretas já’, mas sou consciente e pragmático que a nós caberá uma resistência forte contra as reformas propostas atualmente pela Casa. A menos que a oposição ao Temer consiga eleger um candidato via eleições indiretas, nossa função será resistir e batalhar nas ruas contra esse movimento do poder atual”, completou o artista.

De acordo com Tico, a mobilização de artistas em pautas políticas, como as que estão fazendo ao divulgarem a música “Xô, Vampirão”, é importante pois os artistas atingem muitas pessoas, e isso pode ser efetivo para barrar as “reformas” em curso.

“A classe artística atinge milhões de pessoas, logo o engajamento dos artistas em pautas que defendam o povo, pode ajudar muito a conscientizar a população e dificultar o avanço das reformas que estão tentando implementar na marra, aqui neste país”, concluiu.

Assista:

 

(Foto: Divulgação)



No artigo

x