JN faz matéria detonando ocupação da mesa no Senado sem ouvir nenhuma senadora

O jornal de maior audiência do país aproveitou que a transmissão da sessão pela TV Senado havia sido cortada para construir uma matéria negativa. Foram, ao todo, 4 minutos e 10 segundos criticando o...

257 0

O jornal de maior audiência do país aproveitou que a transmissão da sessão pela TV Senado havia sido cortada para construir uma matéria negativa. Foram, ao todo, 4 minutos e 10 segundos criticando o protesto das senadoras da oposição, que ocuparam a mesa diretora do Senado para barrar a votação da reforma trabalhista. Um detalhe: 5 senadores governistas foram entrevistados para falar mal da ação; ninguém da oposição foi ouvido. Assista aqui 

Por Ivan Longo 

A edição desta terça-feira (11) do “Jornal Nacional”, da Globo, foi aberta com uma matéria completamente tendenciosa sobre a ocupação da mesa diretora do Senado por senadoras da oposição. O ato foi uma tentativa de barrar a votação do projeto da reforma trabalhista, aprovado agora a noite, para que o texto fosse melhor analisado.

O jornal de maior audiência do país se aproveitou do fato de que a transmissão da sessão pela TV Senado havia sido cortada a mando do presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), para construir uma narrativa completamente negativa do protesto histórico ocorrido nesta terça-feira. Quem acompanhou as transmissões pela internet, sem a TV Senado, certamente tem como verdade a versão contada pelo Jornal Nacional.

Leia também: Saiba quem são os senadores que votaram contra os trabalhadores

Ao longo de 4 minutos e 10 segundos, os jornalistas da Globo narram o protesto das senadoras, que ficaram por mais de 7 horas ocupando a mesa diretora, em tom crítico. Na parte das entrevistas com parlamentares para comentarem o ocorrido, era de se esperar que todas as partes envolvidas fossem ouvidas. Não foi, no entanto, o que aconteceu. O jornal da família Marinho fez questão de entrevistar cinco senadores governistas para detonar a ação das mulheres e, simplesmente, não ouviu nenhuma das senadoras que protagonizaram a ação e nem mesmo um parlamentar da oposição.

Confira, a partir do 1 minuto e 20 segundos do vídeo aos 5 minutos e 30 segundos o tendenciosismo da matéria. Para saber o que, de fato, aconteceu neste dia de aprovação da reforma trabalhista, é possível assistir às transmissões que foram feitas ao vivo ao longo da sessão aqui.



No artigo