‘Istoé’ se supera; ou o que não faz a publicidade de Temer

Capa da revista desta semana mostra claro desespero com a possibilidade de Lula, mesmo com sentença o condenando em primeira instância, concorrer à presidência em 2018. Publicação, que teve aumento de mais de 1000%...

321 0

Capa da revista desta semana mostra claro desespero com a possibilidade de Lula, mesmo com sentença o condenando em primeira instância, concorrer à presidência em 2018. Publicação, que teve aumento de mais de 1000% em verbas de publicidade do governo Temer, faz até torcida pela prisão: “Lula quase lá” 

Por Redação

O que não faz uma boa verba publicitária do governo federal. Enquanto o presidente em exercício vê seu governo ruir, mergulhado em denúncias de corrupção, a revista Istoé já se preocupa com as próximas eleições para presidente. A capa desta semana da revista, que teve um aumento de mais de 1000% em verbas publicitárias do governo Temer, pergunta se o eleitor votaria para presidente em um “condenado”, com uma foto de Lula. Em tempo, a revista fala em “condenado” mas o teor da capa mostra que a publicação sabe que o petista ainda precisa ser condenado na segunda instância e que por enquanto pode, sim, ser candidato em 2018.

Não era de se esperar menos da revista que há anos ataca o petista e torce pela sua prisão. Com a capa dessa semana, no entanto, a Istoé se superou ao tentar desestimular o eleitor a votar em Lula – tendo em vista que ele é o favorito em todas as pesquisas de opinião – e ainda fazer torcida ao destacar, no canto superior, a frase “9 anos de prisão”, como se fosse um adicional para o leitor se deleitar ainda mais com a matéria. O “Lula quase lá”, também não deixa dúvidas do tom comemorativo da publicação.

Publicidade do governo para IstoÉ aumenta em mais de 1.300%

Pelos números levantados em maio deste ano pelo blog o Cafezinho, a Istoé foi o veículo de comunicação que teve o maior aumento em verbas de publicidade do governo federal no último ano, com 1.384% de acréscimo em relação ao ano anterior. Bom lembrar, como fez o blog à época, que a IstoÉ concedeu a Temer o título de “Homem do Ano” em 2016 e fez a cerimônia na qual Sergio Moro e Aécio Neves sentaram-se juntos e trocaram sorrisos e gentilezas.



No artigo

x