Dona Olga: a Mãe-Resistência

Dona Olga, mãe do ex-ministro José Dirceu e que faleceu nesta segunda-feira (17), fazia parte do grupo de dezenas de Mães-Resistência, que foram separadas de seus filhos por conta da repressão à resistência ao...

257 0

Dona Olga, mãe do ex-ministro José Dirceu e que faleceu nesta segunda-feira (17), fazia parte do grupo de dezenas de Mães-Resistência, que foram separadas de seus filhos por conta da repressão à resistência ao golpe de Estado. Ela esperou por 10 anos, ali em Passa Quatro, o eterno momento de rever seu filho

Por Álvaro Maciel*

A Secretaria Estadual de Cultura do PT-RJ comunica o falecimento de Olga Guedes da Silva, em Passa Quatro, Minas Gerais; mãe do ex-ministro José Dirceu. Dirceu, com autorização da Justiça, estava em sua companhia. Agora a casa onde ela morava será passada para a Justiça Federal.  Na Lava Jato o juiz Sérgio Moro sentenciou o confisco do imóvel.

Dona Olga: a Mãe-Resistência

Em 1968 Dona Olga e sua família assistiram pela TV a triste imagem que marcou todo o país, a prisão se muitos jovens que participavam do congresso da UNE – União Nacional dos Estudantes.  Entre eles estava seu filho, José Dirceu de Oliveira e Silva, aos 23 anos de idade. A imagem foi realmente chocante e mostrou Dirceu entrando em um camburão.

Em 1969, também pela TV, Dona Olga soube que seu filho estava no grupo de 15 presos políticos que seria trocado pelo embaixador americano Charles Elbrick, sequestrado numa ação organizada pelos movimentos de esquerda.

10 anos de separação e incertezas

Dirceu saiu da prisão para o banimento. Passou a viver no exílio e na clandestinidade por 10 anos, período em que Olga não falou com o filho e contou apenas com poucas notícias de sua localização e estado de saúde.  Notícias dele no México e em Cuba. Pouca coisa mesmo.  E assim, foi crescendo no seio da família e entre os amigos mais próximos a incerteza de que ele estava vivo, ou não. No entanto, Olga nunca declarava sempre sua esperança de que um dia Dirceu voltaria.

Dona Olga fazia parte do grupo de dezenas de Mães-Resistência, que foram separadas de seus filhos por conta da repressão à resistência ao golpe de Estado.  Ela esperou por 10 anos, ali em Passa Quatro, o eterno momento de rever seu filho.

Nossas condolências ao querido companheiro José Dirceu e sua família. Que Dona Olga encontre a paz eterna

*Álvaro Maciel é Secretário Estadual de Cultura do PT/RJ



No artigo

x