Patrícia Lélis vai à Delegacia da Mulher e presta queixa contra Eduardo Bolsonaro

Ex-namorada do deputado federal, a jornalista contou que, após a resposta que deu à postagem do parlamentar a desqualificando e atacando o feminismo, passou a ser ameaçada e intimidada por mensagens privadas. Ela registrou...

1117 0

Ex-namorada do deputado federal, a jornalista contou que, após a resposta que deu à postagem do parlamentar a desqualificando e atacando o feminismo, passou a ser ameaçada e intimidada por mensagens privadas. Ela registrou um boletim de ocorrência por ameaça e injúria

Por Redação

A jornalista Patrícia Lélis registrou na Delegacia da Mulher de Brasília, na noite desta terça-feira (17), um boletim de ocorrência de ameaça e injúria contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ). Lélis, que é ex-namorada de Bolsonaro, conta que foi xingada, ameaçada e intimidada pelo parlamentar depois da resposta que deu à uma postagem em que ele tenta desqualificá-la atacando o feminismo.

“Eu começo a ‘entender’ a importância da figura masculina na vida de uma mulher quando minha ex-namorada que já se declara feminista é vista em uma balada LGBT acompanhada de um médico cubano, usando uma roupa vulgar e, como se não bastasse, rebolando até o chão. E ainda posta isso na internet, como se fosse uma atitude louvável. Lembrando que antes do feminismo ela andava com roupas discretas, não rebolava até o chão, e namorava comigo. ;) #FeminismoÉDoença”, escreveu Bolsonaro em seu perfil pessoal no último dia 11.

Patrícia, então, respondeu à postagem do ex-namorado contando sobre o relacionamento abusivo que tinha com ele. “Foram 3 anos e 8 meses em um relacionamento abusivo. Eu estou percebendo que tudo na vida evolui, menos você”, escreveu a jornalista em sua postagem de resposta.

A partir daí, de acordo com Patrícia, ela passou a ser ameaçada e, inclusive, perseguida por apoiadores do parlamentar. A gota d’água para que ela resolvesse registrar queixa, no entanto, foi o fato de o próprio deputado federal ter começado a ameaçá-la e intimidá-la por meio de mensagens privadas.

“Procurei a polícia, mostrei as mensagens de ameaça que partiram do celular pessoal do Deputado Eduardo Bolsonaro, e registrei o boletim e ocorrência na Delegacia da Mulher. Como é de se esperar, logicamente o Deputado vai negar, vai tentar me desmoralizar, pessoas vão vim aqui e vão tentar me ofender com palavras de baixo calão e afins, mas já deixo claro a essas pessoas que eu não vou me calar”, disse Patrícia que, em 2016, denunciou o pastor Marco Feliciano por abuso sexual.

No Facebook, a jornalista postou um relato detalhando a queixa que fez contra Bolsonaro junto com uma foto do boletim de ocorrência. Confira abaixo.



No artigo

x