Mais uma vez o julgamento de Eduardo Azeredo do mensalão tucano é adiado

A falta de julgamento de tucanos, como Aécio, que acabou sendo mandato devolvido pelo STF, confirma a tese de que para os filiados acusados do PSDB a justiça costuma ser feita de outra maneira.

198 0

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) mudou mais uma vez a data do julgamento do ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) no processo do mensalão mineiro. Ele foi transferido de 8 para 22 de agosto. A alteração foi um pedido do revisor da ação, desembargador Pedro Vergara, para, conforme o TJMG, organizar a estrutura da corte para atender a imprensa e interessados em acompanhar a sessão.

O tucano foi condenado em primeira instância a 20 anos e 10 meses de prisão sob acusação da prática dos crimes de lavagem de dinheiro e peculato. As investigações do Ministério Público apontaram que o surgimento do mensalão mineiro ocorreu durante a administração do tucano com o objetivo de canalizar recursos de empresas públicas, como a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e, à época, a Companhia de Mineração de Minas Gerais (Comig), para a campanha à reeleição do tucano em 1998.

Azeredo governou Minas Gerais entre os anos de 1995 e 1998 e foi derrota à reeleição por Itamar Franco.

Enquanto o julgamento de todos os outros envolvidos em processos semelhantes já foram realizados e os condenados já, inclusive, cumpriram pena, como Roberto Jefferson e José Dirceu, Azeredo, que teria sido o pai do esquema e é tucano está solto.

A falta de julgamento de tucanos, como Aécio, que acabou sendo mandato devolvido pelo STF, confirma a tese de que para os filiados acusados do PSDB a justiça costuma ser feita de outra maneira.

Foto: José Cruz – Agência Brasil



No artigo

x