Temer faz pouco caso de reclamação de empresários sobre aumento de impostos

"A reação deles é natural, ninguém quer tributo. Na verdade, quando todos compreenderem o motivo, que esse imposto é fundamental para alcançar a estabilidade do país, essa matéria logo será superada”, disse Temer.

197 0

“A reação deles é natural, ninguém quer tributo. Na verdade, quando todos compreenderem o motivo, que esse imposto é fundamental para alcançar a estabilidade do país, essa matéria logo será superada”, disse Temer.

Da Redação*

O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (21), ao final da Cúpula do Mercosul, que não acredita que a posição dos empresários possa ter um impacto político. Ele disse também que “entende a reação da Fiesp” com relação ao aumento dos impostos cobrados sobre os combustíveis anunciado nesta quinta-feira (20).

“A reação deles é natural, ninguém quer tributo. Na verdade, quando todos compreenderem o motivo, que esse imposto é fundamental para incentivar o crescimento, para manter a meta fiscal, para alcançar a estabilidade do país, essa matéria logo será superada. Nós estamos dialogando, e creio que todos compreenderão.”

Acrescentou que, por enquanto, “não há previsão de aumentar outros impostos, mas haverá diálogo e observação sobre este tema.”

E voltou a lembrar, “quando chegamos ao governo estávamos com a síndrome da CPMF, todos esperavam, achavam que nós iríamos voltar com a CPMF. Nós não o fizemos, agora, meses depois, viemos com esse aumento, que é apenas dos combustíveis.”

*Com informações da Folha



No artigo

x