Incêndio atinge velódromo do Parque Olímpico durante a madrugada. Ministro culpa balão

O Velódromo, inaugurado com seis meses de atraso, recebeu as competições do ciclismo de pista durante os Jogos Olímpicos do Rio. Foi a última instalação da Rio 2016 a ser entregue, ao custo de R$ 143 milhões, e a única a não receber um...

88 0

O Velódromo, inaugurado com seis meses de atraso, recebeu as competições do ciclismo de pista durante os Jogos Olímpicos do Rio. Foi a última instalação da Rio 2016 a ser entregue, ao custo de R$ 143 milhões, e a única a não receber um evento-teste antes dos Jogos.

Da Redação*

Um incêndio de grandes proporções atingiu o Velódromo no Parque Olímpico, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na madrugada deste domingo (30).

O fogo foi controlado, mas o trabalho de rescaldo continuava às 7h40, segundo o Corpo de Bombeiros. Eles foram acionados à 0h26 e cerca de 20 homens e quatro veículos combatiam as chamas no local.

Não há vítimas e a extensão dos danos materiais e a causa das chamas só poderão ser informados pela perícia, segundo a corporação. Pelas imagens, é possível ver que parte da cobertura foi consumida pelo fogo.

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, afirmou no Twitter que “um balão atingiu o Velódromo”. “Uma triste notícia desta madrugada”, afirmou o político, que é deputado federal licenciado pelo PMDB do Rio.

No Facebook, Picciani divulgou uma nota do Ministério do Esporte “lamenta profundamente o incidente ocorrido nesta madrugada na Velódromo do Parque da Barra e, ao mesmo tempo, critica essa prática criminosa de soltar balão”.

“O Ministério do Esporte lamenta profundamente o incidente ocorrido nesta madrugada na Velódromo do Parque da Barra e, ao mesmo tempo, critica essa prática criminosa de soltar balão. O Velódromo, legado dos Jogos Olímpicos brasileiro, vinha sendo utilizado por atletas e pela comunidade do Rio de janeiro.”

“Aguardamos e confiamos na apuração e punição dos envolvidos por destruirem mais do que um bem público, um equipamento comum a todos. Após a perícia dos Bombeiros, avaliaremos os danos e medidas a serem adotadas para recuperação desse importante bem nacional.”

Inaugurado com atraso

O Velódromo foi inaugurado com seis meses de atraso, em 26 de junho do ano passado, e recebeu as competições do ciclismo de pista durante os Jogos Olímpicos do Rio. Foi a última instalação da Rio 2016 a ser entregue, ao custo de R$ 143 milhões, e a única a não receber um evento-teste antes dos Jogos.

De acordo com o Ministério do Esporte, desde o fim da Olimpíada, há quase um ano, o Velódromo foi reaberto e serviu e para competições e treinamentos. O evento Rio Bike Fest durou três dias e abrigou o Campeonato Estadual de Ciclismo de Pista, apresentações de manobras radicais e um passeio ciclístico pela área da Barra da Tijuca.

O Velódromo custa R$ 11 milhões por ano aos contribuintes em manutenção, limpeza e contas de energia e água, segundo o Ministério do Esporte. Só o ar-condicionado do local custará R$ 3,5 milhões de energia elétrica neste ano e não pode ser desligado, devido ao piso especial.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução Rede Globo



No artigo

x