Johnny Hooker tenta consertar mal-estar com Ney Matogrosso: “Não é uma rixa entre artistas”

"Acho triste a imprensa querer tornar isso uma rixa que não existe", diz agora, frisando sua "reverência à genialidade e importância revolucionária e libertária do trabalho de Ney".

355 0

“Acho triste a imprensa querer tornar isso uma rixa que não existe”, diz agora, frisando sua “reverência à genialidade e importância revolucionária e libertária do trabalho de Ney”.

Da Redação*

Após causar celeumas na quinta-feira (20) ao comentar declarações de Ney Matogrosso à Folha, o cantor Johnny Hooker tentou apaziguar as coisas: “Não é uma rixa entre artistas, mas parte de uma discussão muito maior”, afirma o cantor Johnny Hooker.

Na entrevista, Matogrosso disse “que gay o caralho. Eu sou um ser humano”, explicando não se considerar representante de minorias. A frase, segundo Johnny Hooker, incomodou-o porque ele não acha que a “sociedade veja as pessoas LGBT como seres humanos. Se as visse assim, não seríamos o país que mais mata LGBT no mundo.”

Na ocasião, Hooker escreveu em sua página: “É inconcebível ler a frase ‘Que gay o caralho’ […] vinda de um artista cuja carreira em grande parcela se apoiou na bandeira da luta dessa comunidade, de seu próprio público. Um artista genial que perdeu o andar que o mundo tomou, ficou cristalizado, um cânone. O que um dia foi uma das maiores forças libertárias do país hoje se reduz a reproduzir o senso comum do ‘fora todos'”.

“Acho triste a imprensa querer tornar isso uma rixa que não existe”, diz agora, frisando sua “reverência à genialidade e importância revolucionária e libertária do trabalho de Ney”.

*Com informações da Folha

Foto: Divulgação



No artigo

x