Acelera, SP: Com Doria, mortes de ciclistas no trânsito aumentam em 75%

O prefeito tucano, que chegou a jogar flores de uma ciclista no chão, tem “descontinuado” as políticas de incentivo ao uso da bicicleta em São Paulo – marca da gestão Haddad – e, como...

161 0

O prefeito tucano, que chegou a jogar flores de uma ciclista no chão, tem “descontinuado” as políticas de incentivo ao uso da bicicleta em São Paulo – marca da gestão Haddad – e, como efeito, a morte de ciclistas aumentou, de acordo com o Ciclocidade, em 75% apenas no primeiro semestre deste ano 

Por Redação* 

Além dos acidentes causados pelo aumento da velocidade nas marginais, em São Paulo, aumentou também o número de ciclistas mortos no trânsito no primeiro semestre deste ano. Empenhado em “descontinuar” as políticas de trânsito e mobilidade do ex-prefeito Fernando Haddad, o tucano João Doria tem extinguido ciclovias e reduzido fiscalização, o que resultou em um número maior de acidentes.

De acordo com um levantamento feito pela Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) com base nas estatísticas do Infosiga – Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, ligado ao governo do estado, o número de mortes em acidentes de trânsito envolvendo ciclistas aumentou 75% no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, passando de 12 para 21.

Para Daniel Guth, presidente da associação, o aumento do número de mortes de ciclistas é fruto de uma série de elementos ligados à forma como a nova gestão lida com a mobilidade urbana.

“O primeiro [elemento] é uma redução e o afrouxamento na fiscalização de condutores de automóveis e ônibus. A redução [do número] de multas, da fiscalização, tem impacto direto na segurança viária e, portanto, nos números que estamos vendo aí. O segundo elemento é a descontinuidade das políticas cicloviárias: falta de manutenção e de conexões e a não discussão sobre expansão cicloviária, [que] produzem também o resultado de mortes de ciclistas”, afirmou Guth à Agência Brasil. De acordo com o o presidente da Ciclocidade, no Plano de Metas do atual prefeito “não há nenhum centavo de recursos públicos para expansão cicloviária”.

O aumento da velocidade nas marginais é um outro aspecto, para o ciclista, que deve ser levado em consideração.

“Isso reverbera para a cidade toda, não só pela importância dessas vias [marginais] para a cidade de São Paulo, mas também porque motoristas que circulam por elas, circulam na  cidade toda. [Isso] induz motoristas às altas velocidades, a um comportamento nocivo relativo à condução”, disse, citando ainda como exemplo o slogan da prefeitura: “Acelera, São Paulo”.

Em nota, a prefeitura informou que a secretaria municipal de Transportes iniciou um estudo de revisão das ciclovias para corrigir falhas e “aumentar a segurança de quem pedala pelas ruas da cidade”.

João Doria, em um episódio recente, mostrou pouca empatia com os ciclistas ao atirar ao chão uma flor entregue por uma mulher “em homenagem aos mortos no trânsito”.

*Com informações da Agência Brasil 

 



No artigo

x