General Villas Boas, chefe do Exército, critica caos fiscal de Temer e diz no Twitter que “há limites”

Comandante expôs seu descontentamento com o aperto orçamentário que já paralisa programas estratégicos da instituição, segundo fontes militares.

184 0

Comandante expôs seu descontentamento com o aperto orçamentário que já paralisa programas estratégicos da instituição, segundo fontes militares.

Da Redação*

Nesta quinta-feira (3), o general Eduardo Villas Boas, comandante do Exército, usou as redes sociais para criticar os cortes no orçamento que a força terrestre vem enfrentando. Os recursos disponíveis, hoje, nos caixas da instituição seriam suficientes para que se chegue apenas até o mês de setembro.

Segundo fontes militares, alguns programas estratégicos do Exército estão praticamente paralisados, como o Sisfron, sistema de vigilância de fronteiras. Esse contingenciamento de recursos é resultado do caos econômico do Governo. Enquanto Henrique Meirelles produziu um rombo anual de R$ 160 bilhões e estourou a meta, Michel Temer gastou R$ 13,4 bilhões em emendas para se salvar – obrigando a cortes em serviços básicos, como a defesa do País.

“Conduzo seguidas reuniões sobre a gestão dos cortes orçamentários impostos ao @exercitooficial. Fazemos nosso dever de casa, mas há limites”, disse o general no Twitter, ao se referir às dificuldades que a instituição está enfrentando e o grave contingenciamento de recursos que, segundo fontes militares, está praticamente paralisando os programas estratégicos do Exército.

A principal queixa dos militares é de que o Governo Federal impõe seguidas missões ao Exército em todas as áreas, mas a equipe econômica não repassa os recursos necessários para o desempenho dos trabalhos. A última delas foi no Rio, com uma nova ida de tropas para as ruas, para tentar oferecer segurança à população.

*Com informações do Brasil 247

Foto: Reprodução/Twitter

 

 



No artigo

x