Um advogado de 55 anos foi preso na sexta-feira (4) em flagrante, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, sob acusação de praticar um ato racista contra uma funcionária da Azul Linhas Aéreas.

Após uma discussão no check-in da empresa, ele retirou uma banana de sua mochila e entregou à atendente negra. A vítima fez uma denúncia à Polícia Federal e o passageiro foi preso em flagrante quando já dentro do avião indo para Corumbá, no Mato Grosso do Sul.

Testemunhas que presenciaram o ato de racismo prestaram depoimento à Polícia Federal. O advogado foi levado para a Superintendência da PF em Belo Horizonte e depois encaminhado para a Polícia Civil de Vespasiano (MG).

A Polícia Civil estipulou uma fiança no valor de R$ 3.000,00, mas o advogado continuava preso até o início da noite de ontem,sexta sexta-feira.

Por meio de nota à imprensa, a Azul informou que já está prestando assistência à sua tripulante e que não vai comentar o caso para não atrapalhar o inquérito policial.