Pinheirinho volta a ser alvo de governo tucano

Os moradores do Pinherinho foram arrancados de suas casas em 2012, durante governo do tucano Eduardo Cury. Receberam as chaves das novas residências no governo de Carlinhos de Almeida (PT) e agora tiveram uma...

498 0

Os moradores do Pinherinho foram arrancados de suas casas em 2012, durante governo do tucano Eduardo Cury. Receberam as chaves das novas residências no governo de Carlinhos de Almeida (PT) e agora tiveram uma horta comunitária arrancada pela gestão de Felício Ramuth (PSDB).

Por Julinho Bittencourt, com a colaboração de Paulo Roxo Barja

Vocês se lembram do Pinheirinho? Pois é, ia muito bem obrigado, agora abrigado em outro local de São José dos Campos, com o novo nome de Pinheirinho dos Palmares, até que a mixórdia tucana voltou a atacar e desta vez, na última segunda-feira (7), pasmem, resolveu destruir uma das hortas comunitárias dos moradores.

No novo Pinheirinho os moradores refizeram, da mesma maneira como era no antigo local, três hortas comunitárias, que ajudam na alimentação e subsistência de todos. Conforme relato da moradora Juliana Silva da Cruz, soldados da Guarda Civil Metropolitana de São José dos Campos estiveram no local com caminhões da prefeitura, acompanhados do presidente da Câmara, o vereador do PSDB, Juvenil Silvério e arrancaram uma das três hortas.

Os moradores foram informados que havia uma denúncia. Não receberam nenhum documento comprovando e tudo foi “simplesmente derrubado. Nós fomos até a prefeitura e uma funcionária nos disse que não havia nenhum pedido oficial. Depois de muitos pedidos de explicação, foi alegado na prefeitura que havia uma cerca na horta que poderia sugerir uma ocupação”, disse Juliana, acrescentando que a cerca que havia “era de proteção para que animais não destruíssem a horta”.

Além da destruição da horta, foram levados também todos os equipamentos e ferramentas comprados pelos moradores. O comando da Guarda Municipal nega que tenham levado os pertences.

De acordo com Waldir Martins, conhecido como Marrom do Pinheirinho, “os moradores estão indignados. O fato causou muita estranheza e revolta a todos por aqui. O terreno onde estava a horta pertence à comunidade e ninguém explica o porquê”, disse.

Na tarde de quarta-feira (9), conforme informa a jornalista Fernanda Soares em sua conta no Facebook, moradores receberam da Prefeitura Municipal de São José dos Campos o compromisso de ressarcimento do material necessário para a reconstrução da horta, desde que façam a solicitação da criação da horta comunitária por escrito.

Histórico do Pinheirinho

O Pinheirinho foi uma comunidade desocupada de forma truculenta pela PM, sob o comando do governador Geraldo Alckmin (PSDB), com o apoio do então prefeito Eduardo Cury (PSDB), ocorrida há cinco anos, no início da manhã do domingo, 22 de janeiro de 2012, na Zona Sul da elegante cidade do estado de São Paulo.

O saldo final, além da perda das casas, contou com moradores feridos, casas demolidas com moradores dentro (Isso lembra algo, não?), um PM afastado após ser flagrado espancando um morador e um desaparecido entre muitas outras mazelas.

Moravam por lá, desde 2004, algo entre 6 e 9 mil pessoas, que foram arrancadas de suas casas com o que puderam carregar. O motivo era reaver para o megainvestidor Naji Nahas – preso em 2008 pela Operação Satiagraha, da Polícia Federal, por crime financeiro – a posse de sua propriedade.

Alguns moradores receberam da prefeitura passagens só de ida para seus locais de origem. Outros tantos permaneceram acampados ou morando de favor, a luta por moradia se acirrou na região e, cinco anos depois, em dezembro de 2016, no governo do então prefeito Carlinhos de Almeida (PT), eles receberam as chaves do “Residencial Pinheirinho dos Palmares”, onde a horta foi arrancada na última segunda-feira, já no governo de Felício Ramuth (PSDB).

Na tarde de quarta-feira (9), conforme informa a jornalista Fernanda Soares em sua conta no Facebook, moradores receberam da Prefeitura Municipal de São José dos Campos o compromisso de ressarcimento do material necessário para a reconstrução da horta, desde que façam a solicitação da criação da horta comunitária por escrito.

 



No artigo

x