Ex-ministra da Justiça alemã diz que vai denunciar golpe e perseguição a Lula na Europa

Herta Däubler-Gmelin está no Brasil e se reuniu com a ex-presidente Dilma Rousseff. Na conversa, disse que seu país não sabe sobre a verdade do impeachment no Brasil, e nem mesmo a situação política,...

1764 0

Herta Däubler-Gmelin está no Brasil e se reuniu com a ex-presidente Dilma Rousseff. Na conversa, disse que seu país não sabe sobre a verdade do impeachment no Brasil, e nem mesmo a situação política, e prometeu levar esses fatos a partidos, lideranças e juventude da Europa. “É muito grave o que está acontecendo” 

Por Redação 

A jurista, ex-deputada e ex-ministra da Justiça da Alemanha, Herta Däubler-Gmelin, está no Brasil, desde a semana passada, para participar de uma série de eventos. Nesta segunda-feira (14), ela esteve reunida com a ex-presidente Dilma Rousseff. Antes, ela já havia declarado à imprensa alemã que “o Brasil é um outro mundo”, pelo o que soube da crise política e institucional instaurada aqui. Na conversa com Dilma, Herta foi além e prometeu denunciar o golpe parlamentar ocorrido no Brasil, bem como a situação política e a perseguição à Lula em seu país e na Europa.

“Estou chocada como esses fatos não chegaram na Alemanha e na Europa geral. Vou procurar os partidos, vou relatar estes fatos, buscar os jovens, pedir ajuda às redes sociais, para que possamos refletir sobre o caráter de tudo que está acontecendo aqui”, afirmou.

E ex-ministra da Justiça, na conversa, ainda sugeriu a Dilma que ela mesma vá à Alemanha falar sobre o assunto. Herta, que é jurista, ainda conversou com o ex-ministro José Eduardo Cardozo, que foi advogado de Dilma durante o processo de impeachment.

Atualmente, Herta Däubler-Gmelin é professora de Ciência Política da Universidade Livre de Berlin e preside o Grupo de Trabalho sobre Direitos Humanos do Partido Social democrata da Alemanha.

Foto: João Heitor 

 



No artigo

x