Marina perdeu chances em 2018 ao apoiar o impeachment, afirma fundador da Rede

Luiz Eduardo Soares disse ainda que “Lula é um forte candidato” nas eleições do próximo ano. Da Redação*...

793 0

Luiz Eduardo Soares disse ainda que “Lula é um forte candidato” nas eleições do próximo ano.

Da Redação*

Um dos fundadores da Rede Sustentabilidade, o cientista político e antropólogo Luiz Eduardo Soares afirmou nesta terça-feira (15) em entrevista à BBC Brasil que Marina Silva “queimou caravelas com a esquerda”. Para ele, a ex-senadora perdeu a chance de chegar na disputa como principal favorita, isso porque apoiou o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

Segundo Soares, “ela assumiu essa posição, extremamente irresponsável do ponto de vista da democracia, acho que ela queimou as caravelas relativamente ao campo das esquerdas. Não só do PT, das esquerdas (… )Isso circunscreve o seu potencial eleitoral e político”.

Sua divergência com a Marina teve a ver com seu apoio ao impeachment. “Ela tinha sempre se manifestado contrária. O (deputado federal) Molon entrou para o partido depois que ela se comprometeu a ser contrária. E uma semana antes da votação, ela se pronunciou a favor do impeachment, sem nos consultar”, contou.

Disse ainda que “ser a favor do impeachment significava entregar o país ao núcleo mais perigoso da política nacional, o PMDB”. Para o fundador da Rede, “retirar a Dilma para levar o representante do PMDB para o poder em nome da ética é despudoradamente hipócrita”.

Soares acredita que ela teria totais condições de ser favorita nas eleições de 2018 se tivesse se mantido contra o impeachment e “poderia unificar o campo das esquerdas com um discurso palatável, capaz de suscitar respeito entre eleitores do centro, e a população evangélica também se reconheceria nela. Ela viria com um potencial eleitoral muito grande”.

“Ela deixou de ser espontânea e genuína. Essa era a sua marca. Passou a estar sempre numa posição ambígua, com poucas definições claras, e a jogar o jogo mais tradicional. Mas sem dúvida é uma candidatura forte potencialmente”, completou Soares.

O cientista político analisou ainda que “Lula é um forte candidato (em 2018), porque para a maioria da população fez o melhor governo que experimentaram. E de fato os resultados foram notáveis, superiores aos governos anteriores em termos de crescimento e de redução de desigualdades. Ele saiu com 85% de aprovação popular. Isso é um patrimônio extraordinário, que está sendo erodido pelas denúncias constantes da mídia”.

 

*com informações da BBC Brasil

Foto: Elza Fiuza/ Agência Brasil

 



No artigo

x