Torcedor é preso por fazer injúrias raciais à família de jogador: “Tudo macaco”

O torcedor foi reconhecido pelas vítimas e encaminhado por policias do Gepe para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) do estádio. Lá, ficou se lamentando: "vocês vão foder minha vida".

1461 0

O torcedor foi reconhecido pelas vítimas e encaminhado por policias do Gepe para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) do estádio. Lá, ficou se lamentando: “vocês vão foder minha vida”.

Da Redação*

Mais um caso de racismo no futebol. No jogo desta quarta-feira (16) entre Flamengo e Botafogo, um torcedor do Botafogo, identificado como André Luis Moreira dos Santos, foi detido pela Polícia Militar no Estádio Nilton Santos por injúrias raciais a familiares do atacante Vinicius Junior.

Ele acompanhava a partida no Setor Leste Inferior, quando fez ofensas a tios do jogador do Flamengo. Ele fazia sinais apontando para o braço e gritava “tudo macaco”. Os familiares do jogador estavam em um camarote no Setor Leste. Perto do local, dirigentes rubro-negros acompanharam a cena.

O torcedor foi reconhecido pelas vítimas e encaminhado por policias do Gepe para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) do estádio. Lá, ficou se lamentando: “vocês vão foder minha vida”. O botafoguense deixou o estádio por volta de 4h da madrugada. Ele foi encaminhado à Cidade da Polícia.

O ato foi recriminado pelos próprios torcedores do Botafogo presentes na Leste Inferior, que cobraram o torcedor responsável pelas injúrias raciais.

Por ser detido em flagrante, ele foi ouvido no próprio Jecrim por um juiz, que dirá se ele seguirá preso. Outras oito pessoas foram detidas por confusões no estádio, mas foram liberadas.

O Flamengo usou uma rede social para condenar a manifestação de racismo contra a família de Vinicius Jr.: ‘Racismo, aqui, não’.

A legislação brasileira prevê dois tipos de crimes relacionados à discriminação por raça: a injúria racial, que está no artigo 140 do Código Penal, parágrafo 3º, e o racismo, previsto na Lei 7.716/1989. Segundo o site do Conselho Nacional de Justiça, a injúria racial consiste em ofender a honra de alguém, em geral com uso de palavras depreciativas referentes à raça ou cor, e prevê pena de um a três anos de prisão, alem de multa. Já o racismo, considerado crime inafiançável e imprescritível, implica em conduta discrimiatória dirigida a determinado grupo ou coletividade.

O Rubro-Negro e o Alvinegro empataram por 0 a 0, na noite desta quarta, no Nilton Santos. Na próxima semana, os times decidem no Maracanã uma vaga na decisão da Copa do Brasil.

*Com informações do G1

Fotos: Reprodução

 

 

 



No artigo

x