“Ele tem medo do que vou fazer daqui para frente”, responde Lula a vereador

Ex-presidente diz que professores e estudantes não precisam se preocupar com a formalidade do título de doutor honoris causa: "Para mim, o que interessa é o reconhecimento".

844 0

Ex-presidente diz que professores e estudantes não precisam se preocupar com a formalidade do título de doutor honoris causa: “Para mim, o que interessa é o reconhecimento”.

Da Redação

Luiz Inácio Lula da Silva, dando início à sua caravana pelo Nordeste, na Bahia, respondeu ao vereador soteropolitano, que ingressou na Justiça para impedir que a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) entregasse ao ex-presidente o título de doutor honoris causa. “Esse vereador entrou com um processo na Justiça e um juiz federal resolveu suspender o título. Queria apenas falar para esse vereador, que eu não conheço, que ele tem o direito de não gostar de mim, porque ele é do DEM e quem é do DEM não pode gostar de mim. Não precisa gostar de mim porque eu não gosto dele. Não por uma questão pessoal. Não gosto por divergências ideológicas, por concepção de país, por concepção de política de inclusão social”.

Lula prosseguiu: “O que ele não sabe é que para mim receber um título é importante, mas eu já me considero dono do título desde que foi aprovado na universidade. Talvez esse vereador não tenha pedido a suspensão pelo que eu fiz, porque todo mundo sabe o que eu fiz aqui na Bahia. Ele está com medo que eu receba o título pelo que vou fazer daqui para frente. Então, vou lá em Cruz das Almas, quero dar um beijo na testa do reitor, quero dar um beijo na testa dos professores e professoras, quero dar um abraço nos estudantes e dizer para eles que não se preocupem com a formalidade do título. Para mim, o que interessa é o reconhecimento, porque eles não me deram o título apenas pelo que eu vou fazer. Eles me deram o título porque foi um cidadão, torneiro mecânico, sem diploma universitário, que fez mais universidades na história desse país”, completou.

A decisão do juiz Evandro Reimão dos Reis, da 10ª Vara Federal Cível de Salvador, atendeu a ação popular ajuizada pelo vereador Alexandre Aleluia (DEM). A UFRB afirma que a decisão “fere um dos princípios fundamentais das universidades públicas que é a autonomia universitária”, citando o artigo 207 da Constituição. Diz ainda que a quebra dessa autonomia cria um “perigoso precedente, de consequências danosas” para o ambiente universitário brasileiro. “A honraria ao ex-presidente Lula é um antigo desejo de setores da comunidade universitária da UFRB, pela implicação do seu governo com a expansão e a interiorização do ensino público superior”, diz ainda o texto. A universidade pediu que a Advocacia Geral da União (AGU) recorra da decisão e espera que esta seja revertida “com a certeza de que o respeito à autonomia das instituições de ensino superior público seja preservado e garantido”.

A bronca da família Aleluia com o ex-presidente vem de longe. Alexandre Aleluia é filho de José Carlos Aleluia, político que, em 2011, escreveu uma carta ao reitor da Universidade de Coimbra, em Portugal, solicitando que fosse suspenso o desejo da instituição de entregar a Lula o título de doutor honoris causa. Não adiantou.

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/Fotos Públicas



No artigo

x