Haddad denuncia “o fim da controladoria geral de São Paulo”

De acordo com o ex-prefeito da capital paulista, a demissão da então controladora geral, Laura Mendes, foi mais um passo para retirar a autonomia do órgão.

769 0

De acordo com o ex-prefeito da capital paulista, a demissão da então controladora geral, Laura Mendes, foi mais um passo para retirar a autonomia do órgão.

Da Redação

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), criticou, em uma de suas redes sociais, a demissão da controladora geral do município, Laura Mendes, e apontou para o fato de que o órgão está sendo desmontado por João Doria (PSDB). “A controladoria geral do município, criada por mim, para combater a corrupção, foi a responsável por desbaratar a máfia do ISS e a máfia do Theatro Municipal, dente outras ações em que recuperou centenas de milhões de reais. Esse órgão está sendo desmontado”, escreveu.

Haddad prosseguiu: “Num primeiro movimento, retiraram dele o status de secretaria, diretamente ligado ao gabinete do prefeito. E, agora, demitem um quadro técnico para nomear um aliado, retirando-lhe a autonomia. Temer fez o mesmo no plano federal. No governo do estado, jamais tivemos uma controladoria autônoma com status de secretaria. Estamos retrocedendo. Pena”, completou.

Laura Mendes foi exonerada apenas duas semanas depois de abrir investigações a respeito do esquema de propina envolvendo funcionários da prefeitura. Ela estava no cargo havia 8 meses e, há cerca de um mês, deu início à investigação que começou a desbaratar um esquema de pagamento de propina a funcionários da prefeitura para liberar propaganda irregular, burlando a lei Cidade Limpa.

“A substituição se dá por razões administrativas operacionais e a prefeitura reconhece e agradece os bons resultados obtidos por ela nos oito meses em que ficou à frente do órgão. Todos os processos e investigações abertos durante esse período terão continuidade, garantindo a independência da controladoria conforme determina a legislação”, justificou laconicamente, em nota, a prefeitura.

Para o lugar de Laura, foi escolhido o advogado Guilherme Rodrigues Monteiro Mendes, que era ouvidor geral do município.

Foto: Lula Marques/AGPT/Fotos Públicas



No artigo

x