A proibição das drogas dá monopólio ao traficante, diz ministro do STF

Entre outros temas, Luís Roberto Barroso afirmou que vê um “pacto” na operação Lava Jato para salvar investigados. Da Redação Na madrugada desta terça...

820 0

Entre outros temas, Luís Roberto Barroso afirmou que vê um “pacto” na operação Lava Jato para salvar investigados.

Da Redação

Na madrugada desta terça (22) para quarta-feira (23), o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso foi entrevistado pelo programa Conversa com Bial. Entre assuntos como Lava Jato, delação premiada e foro privilegiado, o apresentador Pedro Bial levantou o tema da sobre a descriminalização da maconha.

Foi relembrado o trecho de uma sessão do STF de 2015 onde o ministro compara a moralidade do uso da maconha com outras “drogas” consideradas lícitas. Bial comentou sobre um dos termos usados por Barroso em seu discurso, naquela ocasião. “Eu poderia apostar que é a primeira vez que a palavra ‘baseado’ é usada com esse sentido no Plenário”, disse, arrancando risos do entrevistado e da plateia.

“A guerra às drogas (no Brasil) fracassou completamente desde que começou, há quase 40 anos, o consumo só fez subir”, apontou. Segundo o ministro, “A proibição e a ilegalidade, a única coisa que faz é dar monopólio ao traficante. É preciso quebrar o poder do tráfico sobre as comunidades. É preciso encontrar uma fórmula para neutralizar o poder do tráfico.”

Barroso alertou que a “Operação Lava Jato é vítima de uma grande ‘operação afaba’”, onde investigados “têm aliados e parceiros e aliados em toda parte. Nos altos escalões, nos poderes da República, na imprensa”. Apontou ainda que “há um pacto, ‘onde você salva os meus, que eu salvo os seus’”.

Foto: Reprodução/ Globo Play



No artigo

x