Articuladores do golpe são hoje os políticos mais rejeitados do país

O recordista em impopularidade é Michel Temer, denunciado por corrupção e rejeitado por 93% dos brasileiros, segundo aponta a pesquisa Ipsos.

1303 0

O recordista em impopularidade é Michel Temer, denunciado por corrupção e rejeitado por 93% dos brasileiros, segundo aponta a pesquisa Ipsos.

Por Brasil 247

A presidente deposta Dilma Rousseff tem razão ao dizer que a História está sendo implacável com os golpistas.

Hoje, os três políticos mais rejeitados do País são os protagonistas do golpe de 2016, que destruiu a democracia, a economia e a imagem do Brasil no mundo (sabia mais aqui sobre o fim do prestígio internacional do Brasil).

O recordista em impopularidade é Michel Temer, denunciado por corrupção e rejeitado por 93% dos brasileiros, segundo aponta a pesquisa Ipsos. Nos próximos dias, ele será também denunciado por obstrução judicial.

Logo em seguida, com 91%, aparecem empatados o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se uniram para promover o golpe – Aécio porque não aceitou ser derrotado nas urnas e Cunha porque não teve os votos para se salvar no conselho de ética da Câmara dos Deputados.

A pesquisa também revelou que caciques do PSDB, como o senador José Serra (PSDB-SP), que articulou o golpe e foi seu primeiro chanceler, assim como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que apoiou tal conspiração, hoje são mais rejeitados do que o ex-presidente Lula (leia aqui).

Confira, abaixo, os índices de rejeição dos políticos brasileiros:



No artigo

x