Parece reprise, mas não é. PM agride jovens em baile funk na Zona Leste de SP. Veja o vídeo

De acordo com o ouvidor Julio Cesar Fernandes Neves, o vídeo mostra os policiais militares cometendo crime de lesão corporal dolosa (com intenção).

824 0

De acordo com o ouvidor Julio Cesar Fernandes Neves, o vídeo mostra os policiais militares cometendo crime de lesão corporal dolosa (com intenção).

Da Redação*

Policiais militares agrediram com cassetetes jovens que participavam de um baile funk de rua, chamado de “fluxo”, na tarde deste domingo (27) no Parque São Rafael, Zona Leste de São Paulo. Um vídeo mostra dois policiais batendo nos jovens. Um deles já estava no chão enquanto apanhava.

O evento na Avenida Baronesa de Muritiba foi marcado pelas redes sociais. A festa acontece uma vez por ano, no último domingo de agosto, em comemoração ao aniversário do Parque São Rafael.

Jovens ouvidos pelo G1 que preferem não se identificar contaram que, por volta das 15h, a polícia chegou e atirou bombas de gás para dispersar o grupo. Com isso, o fluxo migrou para a Rua Paulo Nunes Félix. A polícia interviu mais uma vez, e a agressão do vídeo teria acontecido nesta segunda dispersão.

“Quando chegou [a polícia] começaram a atirar bomba para todo lado, deram tiro de borracha num menino”, contou uma adolescente de 14 anos que participava do evento.

A Polícia Militar disse que “analisará as imagens e tomará as providências relativas ao fato”. A corporação não respondeu se foi chamada para alguma ocorrência no local e se houve detidos.

Procurada nesta segunda-feira (28) pelo G1, a Ouvidoria da Polícia de São Paulo informou que vai encaminhar o vídeo que mostra a ação da Polícia Militar para a Corregedoria da PM.

De acordo com o ouvidor Julio Cesar Fernandes Neves, o vídeo mostra os policiais militares cometendo crime de lesão corporal dolosa (com intenção).

“Uma brutalidade totalmente desnecessária e alimentada por pessoas da sociedade ainda por cima”, disse Neves ao analisar as filmagens. “Vou mandar as imagens para a Corregedoria apurar crime de lesão corporal porque os policiais agridem claramente. Você vê a agressão com cassetetes sem necessidade”.

“A polícia já descia do carro, estava nem vendo se era homem, se era mulher, saiu batendo”, disse um jovem de 19 anos que estava no baile. “Foi tenso o negócio ontem, só pancadaria”, contou a adolescente de 14 anos.

Segundo os jovens, o aniversário do bairro era um evento oficial da prefeitura. “Antigamente colocavam até um palco, mas de dois anos para cá não teve mais”.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução Rede Globo

 



No artigo