Assédio no ônibus: Já são 17 registros de abuso contra Novais

Estudante de 24 anos reconheceu o acusado e afirmou que foi vítima de uma situação semelhante no mês de março. Das 17 ocorrências, dez deram origem a processos judiciais.

1334 0

Estudante de 24 anos reconheceu o acusado e afirmou que foi vítima de uma situação semelhante no mês de março. Das 17 ocorrências, dez deram origem a processos judiciais.

Da Redação*

Quando soube que Diego Ferreira Novais, de 27 anos, havia sido preso, depois de ter ejaculado no pescoço de uma mulher, dentro de um ônibus na Avenida Paulista, na terça-feira (29), a estudante L.P.L. o reconheceu como sendo o mesmo homem que esfregou o pênis em seu braço, também no transporte público, na mesma avenida, no mês de março. Na verdade, ela foi a 14ª vítima a formalizar uma ocorrência no 78º DP, nos Jardins (zona sul de São Paulo) contra Novais, por abuso sexual. Nesta semana, os registros contra ele chegaram a 17, sendo que dez deram origem a processos judiciais. Ele está solto.

A estudante relembra seu caso. Quando estava retornando para casa da Universidade de São Paulo, onde estuda Ciências Sociais, pegou o ônibus e percebeu que Novais não parava de olhar para ela. “Ele levantou, veio na minha direção, abriu o zíper da calça e esfregou o pênis no meu braço. Fiquei nervosa, mas não consegui gritar”, conta. Todos foram parar na delegacia. “Lá, a escrivã me disseu que, para ser registrado como estupro, deveria ter penetração” (em 2009, contudo, uma lei ampliou o entendimento de estupro para todo ato sexual mediante violência ou grave ameaça, mesmo sem penetração). Saldo final: Novais continuou solto.

*Com informações da Folha de S.Paulo

Foto: Reprodução/TV Globo



No artigo

x