“Brasil foi sequestrado por ladrões”, diz Joaquim Barbosa

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal disse que em nenhum país do mundo uma figura como Michel Temer poderia exercer o cargo que ocupa, depois de acusações tão graves.

1439 0

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal disse que em nenhum país do mundo uma figura como Michel Temer poderia exercer o cargo que ocupa, depois de acusações tão graves.

Da Redação*

“Com o golpe de 2016, o governo brasileiro foi tomado de assalto por ladrões, que liquidaram as instituições”. A frase contundente é de Joaquim Barbosa, ex-ministro e presidente do Supremo Tribunal Federal, e um dos potenciais candidatos à presidência da República em 2018. “O Brasil foi sequestrado por um bando de políticos inescrupulosos que reduziram as instituições a frangalhos”, disse ele, em entrevista à jornalista Maria Christina Fernandes, publicada no Valor.

Barbosa declarou, também, que em nenhum país uma figura como Michel Temer – acusado de levar propinas da Odebrecht e da OAS, além de comprar o silêncio de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro – permaneceria no cargo depois de acusações tão graves. O ex-ministro também denunciou a nova etapa do golpe. “Essa gente é tão sem escrúpulo que vai tentar impor o parlamentarismo para angariar a perpetuação no poder e se proteger das investigações. Esse é o plano. Seria mais um golpe brutal nas instituições. Seria uma irresponsabilidade absurda testar um experimento exótico desse, como se fosse um brinquedinho, um ioiô”, disparou.

Ele também afirmou que, com Temer no poder, o país se tornou num pária internacional. “O Brasil passa por um retrocesso institucional que se reflete em sua imagem externa. É um país incontornável, mas que está impedido de exercer seu papel internacional por força da conjuntura triste pela qual passamos. É triste ver os grandes líderes mundiais evitarem o Brasil”.

O ex-ministro também disse que a ordem jurídica foi subvertida e que Temer não teve a honradez de abandonar o cargo que usurpou. “Eles instauraram no Brasil a ordem jurídica deles, e não a das nossas instituições. O Brasil teve um processo de impeachment controverso e patético e o mundo inteiro assistiu. A sequência daquele impeachment é o que estamos vendo hoje. Não há parâmetro de comparação entre a gravidade dos fatos. Michel Temer deveria ter tido a honradez de deixar a presidência”.

Ele completou dizendo que Lula não deveria ser candidato, mas acabou sendo empurrado a isso, em razão da campanha de ódio empreendida pela direita brasileira. “Acho que ele não deveria ser candidato. Vai rachar o país ainda mais. Já está em idade de usufruir da vida e do dinheiro que ganhou com suas palestras. Só que o estão empurrando para ser candidato, com essa cruzada que o coloca contra a parede. É um ódio irracional esse que apareceu no país”.

*Com informações do Brasil 247

Fotos: Fellipe Sampaio/SCO/STF e Lula Marques/AGPT/Fotos Públicas



No artigo

x