Estupro: Isso não pode ser natural

Segundo o censo do Senado Federal, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil. São 130 mulheres por dia. E essas são apenas as subnotificações, já que pesquisas mostram que só 10% das vítimas denunciam.

432 0

Segundo o censo do Senado Federal, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil. São 130 mulheres por dia. E essas são apenas as subnotificações, já que pesquisas mostram que só 10% das vítimas denunciam.

Por Mariana Noale Lima

Há seis dias, uma mulher de 20 anos foi amarrada e estuprada por dois homens. Ela estava comendo pizza acompanhada pelo noivo. Teve suas roupas rasgadas, foi estuprada por horas e abandonada num terreno baldio.

Os estupradores seguem em liberdade.

Há cinco dias, uma mulher de 18 anos foi atropelada quando voltava pra casa. O condutor do veículo ofereceu ajuda, disse que a levaria pro hospital, mas a levou pra uma garagem e a estuprou.

O estuprador segue em liberdade.

No início desta semana, a escritora Clara Averbuck de 38 anos, foi estuprada dentro de um Uber quando voltava de uma festa. Clara já tivera sido abusada aos 13 anos.

O estuprador foi afastado do Uber. Segue em liberdade.

Ainda esta semana, uma mulher de 27 anos teve seu pescoço ejaculado dentro do ônibus quando voltava do trabalho.

O estuprador tem cinco passagens por estupro. Responde em liberdade.

Segundo o censo do Senado Federal, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil. São 130 mulheres por dia.

E essas são apenas as subnotificações, já que pesquisas mostram que só 10% das vítimas denunciam.

Sabe por quê só 10%?

Porque 80% das vítimas são crianças ou adolescentes com menos de 16 anos.

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a projeção mais realista é de 476 mil casos de estupro.

Quatrocentos e setenta e seis mil casos de estupro.

E o abandono também é legislativo:

Estupro no Brasil tem uma pena menor do que vender cosméticos sem registro, ou aplicar anabolizante. Isso é ridículo.

Estupro não pode ser naturalizado!

A sociedade precisa parar de culpar a vítima!

A gravidade desse crime não pode ser deslegitimada!

O Estado precisa executar medidas preventivas e corretivas de amparo e proteção à vítima.

A gente não tá falando de dano material, a gente tá falando de estupro.

A gente tá falando de dano físico, emocional, psicológico.

A gente tá falando de traumas vitalícios, de hematomas na alma.

A gente tá falando do crime mais baixo e cruel contra a integridade de qualquer pessoa.

Pelo amor de Deus, a gente tá falando de estupro.

E S T U P R O

Isso não pode ser natural.

Foto:Agência Brasil/Commons



No artigo

x