PF encontra R$ 480 mil em cinco moedas diferentes na casa de Nuzman

Chamou a atenção dos agentes o fato que o dinheiro estava dividido nas seguintes moedas: Real (102.950), Dólar (35.472), Euro (67.720), Libra (1.315) e Francos Suíços (8.260).

866 0

Chamou a atenção dos agentes o fato que o dinheiro estava dividido nas seguintes moedas: Real (102.950), Dólar (35.472), Euro (67.720), Libra (1.315) e Francos Suíços (8.260).

Da Redação*

A Polícia Federal apreendeu a quantia de R$ 480 mil em dinheiro vivo, em busca realizada na casa do presidente do Comitê Olimpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, durante a Operação Unfair play. No entanto, como se isso não fosse grave, o que mais chamou a atenção dos agentes foi o fato de terem sido encontrados valores em cinco moedas diferentes, nas seguintes quantidades: Real (102.950), Dólar (35.472), Euro (67.720), Libra (1.315) e Francos Suíços (8.260).

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça que autorize o bloqueio de pelo menos R$ 1 bilhão dos patrimônios de Nuzman, do empresário Arthur César de Menezes Soares Filho — conhecido como Rei Arthur por dominar os contratos de prestação de serviços com o governo do estado do Rio — e de sua sócia Eliane Pereira Cavalcante, a título de danos morais à coletividade fluminense.

Nuzman ainda está na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde presta depoimento, e terá de explicar a origem do dinheiro encontrado em sua casa. Ele também teve os veículos bloqueados – poderá continuar usando, mas não poderá vendê-los, para o caso de serem apreendidos futuramente. Nuzman precisará ainda entregar o passaporte.

Além do dinheiro, a polícia apreendeu na casa de Nuzman documentos e um computador, de onde pretende tirar provas de sua participação no esquema de compra de votos para a candidatura do Rio. Pesam contra o cartola as viagens feitas a países africanos nos meses que antecederam a escolha da sede olímpica. A suspeita contra Nuzman ainda precisa de mais elementos concretos, o que explica ele ter sido apenas levado a depor, e não ter tido a prisão pedida pelo MPF.

*Com informações do G1

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Fotos Públicas



No artigo

x