Novo Delcídio: Advogado diz que Palocci afirmou a Moro que Lula sabia

Em depoimento ao juiz de Curitiba, Palocci teria afirmado que Lula sabia das compras dos terrenos que são alvos do processo e que o ex-presidente teria recebido, em mãos, milhões da Odebrecht Por Redação*...

944 0

Em depoimento ao juiz de Curitiba, Palocci teria afirmado que Lula sabia das compras dos terrenos que são alvos do processo e que o ex-presidente teria recebido, em mãos, milhões da Odebrecht

Por Redação*

Os advogados de Antônio Palocci afirmaram nesta quarta-feira (6) que, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o ex-ministro teria dito que a Odebrecht adquiriu um apartamento em São Bernardo do Campo para o ex-presidente Lula e um terreno para a construção do Instituto Lula como compensação pelas vantagens que a empresa teria recebido durante seu governo. Palocci, que é réu da operação Lava Jato, teria afirmado que Lula sabia das irregularidades na compra desses terrenos, informação que é negada pelos advogados do petista.

“Na verdade, a diretoria do Instituto Lula verificou que ele não era apropriado para a destinação que se buscava. Então, está muito claro e isso, evidentemente, é a verdade e é o que vai também ser esclarecido pelo ex-presidente Lula”, disse Cristiano Zanin Martins. “Não há vantagem indevida, não há qualquer relação com contratos firmados com a Petrobras. A denúncia é uma pura ficção, e os depoimentos prestados hoje não contribuem para nada. São depoimentos que não acrescentam nada, até porque sem qualquer prova”, completou o advogado do petista. 

No depoimento, de acordo com os advogados, Palocci teria dito que a Odebrecht tinha uma espécie de “pacto de sangue” com Lula e Dilma e que o ex-presidente teria, inclusive, recebido R$4 milhões da construtora de um total de R$300 milhões que teria sido acertado.

“Eu tenho conhecimento porque participei de boa parte desses entendimentos na qualidade de ministro da Fazenda do presidente Lula e ministro da Casa Civil da presidente Dilma”, teria afirmado Palocci. À Moro, o ex-ministro teria detalhado ainda como as diretorias da Petrobras teriam sido divididas entre os três principais partidos que compunham o governo durante as administrações petistas. “Na Diretoria de Serviços, [ficou] o PT, na Diretoria Internacional, o PMDB, e na Diretoria de Abastecimento, o PP. Desenvolveu-se uma relação de intenso financiamento partidário de políticos, pessoas, empresas. Esse foi um ilícito crescente na Petrobras, até porque as obras cresceram muito e, com elas, os ilícitos”, disse.

Palocci está detido na carceragem da Polícia Federal (PF) de Curitiba e já foi condenado em outra ação penal da Lava Jato a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Neste processo, o MPF afirma que a Odebrecht comprou um terreno no valor de R$ 12,4 milhões para a construção do Instituto Lula — obra que não chegou a ser executada. Ainda segundo a denúncia, o ex-presidente também teria recebido como vantagem indevida da empreiteira uma cobertura vizinha ao apartamento onde mora, em São Bernardo do Campo.

O depoimento do ex-presidente Lula nesta ação penal está marcado para o dia 13 de setembro.

*Com Agência Brasil e G1



No artigo

x