Grito dos Excluídos pede “Fora Temer” e “Fora Doria”

Ambos foram os principais alvos dos manifestantes ligados a movimentos sociais, que se reuniram no 7 de setembro, durante o 23º Grito dos Excluídos, em São Paulo.

1269 0

Ambos foram os principais alvos dos manifestantes ligados a movimentos sociais, que se reuniram no 7 de setembro, durante o 23º Grito dos Excluídos, em São Paulo.

Da Redação*

Os dois principais alvos de protesto, durante a manifestação do 23º Grito dos Excluídos, nesta quinta-feira (7), na Avenida Paulista, em São Paulo, foram Michel Temer (PMDB) e João Doria (PSDB). Os participantes, ligados a movimentos sociais, pediam moradia, educação, saúde e a manutenção dos direitos dos trabalhadores.

Os manifestantes levaram malas cheias de notas falsas de dinheiro, em alusão aos mais de R$ 51 milhões encontrados em um apartamento, em Salvador (BA), que seriam do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). Aos gritos de “Fora Temer” e “Fora Doria”, as pessoas protestaram contra os projetos de privatização divulgados por Temer e Doria.

“Até a Casa da Moeda o governo golpista de Temer está querendo entregar ao capital financeiro internacional”, gritava Hugo Fanton, coordenador da CMP (Central de Movimentos Populares), uma das entidades que organizaram o ato. Outro manifestante discursou chamando a população para lutar em defesa do patrimônio público paulistano. “Fora Doria. São Paulo não é sua, ela pertence a todos nós. Você quer vender nossa cidade, nossos equipamentos”.

Havia, também, muitas faixas em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): “Eleição sem Lula e fraude”, diziam cartazes. Os organizadores esperam reunir cerca de 10 mil pessoas até o final do protesto.

*Com informações do UOL

Foto: Paulo Pinto/AGPT/Fotos Públicas



No artigo

x