Geddel recebeu R$ 1 milhão de propina da Odebrecht, revela delator

Em sua versão, Lúcio Funaro parece ter desvendado mistério do pagamento de R$ 10 milhões ao grupo de Temer. Da Redação Segundo versão do...

606 0

Em sua versão, Lúcio Funaro parece ter desvendado mistério do pagamento de R$ 10 milhões ao grupo de Temer.

Da Redação

Segundo versão do operador e doleiro Lúcio Funaro, o ex-ministro de Temer, Geddel Vieira Lima, ficou com R$ 1 milhão de dinheiro pago pela Odebrecht. Até hoje, a divisão da quantia de R$ 10 milhões destinada ao grupo político de Michel Temer guardava alguns mistérios.

Do total mencionado, afirmou que R$ 6 milhões foram destinados para a campanha do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que concorreu ao governo do estado de São Paulo em 2014. Enquanto o restante, R$ 4 milhões, foram entregues ao atual chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Funaro conta que, em maio de 2014, a pedido de Geddel Vieira Lima, ele retirou R$ 1 milhão no escritório do advogado José Yunes, amigo próximo de Michel Temer. Este dinheiro fazia parte da quantia destinada a Padilha e foi entregue a Geddel, em Salvador.

Nova prisão de Geddel

Na manhã desta sexta-feira (8), a Polícia Federal cumpre mandado na casa do ex-ministro de Temer, Geddel Vieira Lima. Ele estava em prisão domiciliar em um condomínio, em Salvador, e deixou sua residência acompanhado dos agentes, cobrindo o rosto com uma pasta.

Esta operação da PF começou por volta das 5h40, quando agentes chegaram, em dois carros, ao prédio de Geddel, no bairro Jardim Apipema, na capital baiana. Um vendedor ambulante que trabalha nos arredores foi escolhido pelos policiais para subir ao apartamento do ex-ministro como testemunha.

Pessoas que passavam nos arredores, a pé ou de carro, se manifestaram com aplausos e buzinas, enquanto a Polícia Federal deixava a garagem com Geddel no banco de trás de uma das viaturas. Eles já chegaram à Brasília, onde o ex-ministro deve ficar detido na carceragem da PF e, posteriormente, transferido para o presídio da Papuda.

Na última terça (5), a polícia descobriu um apartamento que seria usado por Geddel com o montante de R$ 51 milhões distribuídos em malas e caixas espalhadas pela sala. Desde então, a defesa do ex-ministro de Temer não se pronunciou mais ou sequer atendeu ligações da imprensa.

*com informações da Veja
Fotos: Valter Campanato/Agência Brasil e José Cruz/EBC



No artigo

x