Janot denuncia a cúpula do PMDB no Senado por organização criminosa

Foram acusados nomes de peso do partido, como Edison Lobão, Jáder Barbalho, Renan Calheiros, Romero Jucá, Valdir Raupp e José Sarney.

698 0

Foram acusados nomes de peso do partido, como Edison Lobão, Jáder Barbalho, Renan Calheiros, Romero Jucá, Valdir Raupp e José Sarney.

Da Redação*

Às vésperas de se despedir do cargo, o procurador-geral da República Rodrigo Janot apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (8), denúncias contra vários políticos do primeiro escalão do PMDB no Senado. Integram a lista os senadores Edison Lobão (MA), Jáder Barbalho (PA), Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Valdir Raupp (RO), além do ex-senador e ex-presidente José Sarney. Também foi denunciado o ex-senador pelo PSDB e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Segundo investigações, os sete políticos receberam R$ 864,5 milhões em propina paga por fornecedores da Petrobras e sua subsidiária Transpetro. A acusação aponta formação de organização criminosa, cuja pena varia entre 3 e 8 anos de prisão, além de multa. Para a PGR, há claros indícios de que o grupo mantinha controle sobre as diretorias Internacional e de Abastecimento da Petrobras e da Transpetro, para obter propinas de fornecedores da estatal.

Janot quer, além da pena de prisão, que os atuais senadores percam os mandatos e que todos paguem R$ 200 milhões, metade como devolução de desvios e outra metade como indenizações por danos morais. O restante do valor poderá ser cobrado em outros processos. Todos os envolvidos, evidentemente, negaram participação no esquema.

*Com informações do G1

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado/Fotos Públicas

 



No artigo

x