‘Hater’ da Fórum faz apologia ao assassinato de Lula e Dilma

Fórum identificou mais um hater comentando em nossas publicações: Kleber Romão, coordenador do MBL de Manaus, candidato a vereador derrotado, apoiador de Bolsonaro, com processos trabalhistas nas costas e histórico de racismo Por Redação ...

2012 0

Fórum identificou mais um hater comentando em nossas publicações: Kleber Romão, coordenador do MBL de Manaus, candidato a vereador derrotado, apoiador de Bolsonaro, com processos trabalhistas nas costas e histórico de racismo

Por Redação 

Páginas de esquerda normalmente são “invadidas” por uma legião de ‘haters’ que ficam provocando as pessoas e fazendo apologia à intolerância e à violência. Com a Fórum não é diferente mas, historicamente, essas pessoas foram ignoradas e, quando faziam comentários mais violentos, eram banidas da página.

Após algumas ameaças, no entanto, a equipe da Fórum resolveu começar a expor alguns desses ‘haters’ para dar luz aos discursos de ódio da direita como uma maneira de combatê-los.

Nesta sexta-feira (15), graças ao alerta de um de nossos leitores, identificamos mais um desses propagadores de ódio. Em uma matéria que falava sobre uma loja de Airsoft de Recife que promovia sessões de tiro ao alvo com fotos de Lula e Dilma, Kleber Romão comentou o seguinte: “TOP! Onde fica? Tenho interesse em me associar”. O comentário do hater é uma clara apologia ao assassinato do ex-presidente Lula e da ex-presidenta Dilma. Isso fica muito claro apenas observando o perfil no Facebook de Romão. Ele é seguidor do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e corrobora com seu discurso antipetista e de apologia à violência.

Kleber é coordenador estadual do Movimento Brasil Livre (MBL) de Manaus. Com o apoio do grupo, foi candidato à vereador pelo DEM nas últimas eleições, mas saiu derrotado, com apenas 929 votos.  

Romão com Kim Kataguiri e outros membros do MBL.

No site JusBrasil constam alguns processos que Kleber carrega nas costas. O candidato derrotado já foi processado por calúnia, injúria e difamação, conforme constam nos documentos disponíveis no site.

Reprodução/JusBrasil

Ainda antes da eleição que perdeu, Romão foi alvo de uma polêmica por conta de uma postagem em que foi acusado de racismo.

“Phoda-se a ativista negra e gorda! Ela se expôs andando na rua com sua (sic) pelancas penduradas, fez pose pra (sic) foto e não quer ser zoada! Vocês são doentes! Preta, gorda, feia (…)… nada mudará isso… Nem o seu falso relativismo. Nada! E a minha crítica é sobre a ideia que essas almas penadas defendem e não a feiura, gordice ou quantidade de melanina nas suas peles”, escreveu em seu Facebook em agosto do ano passado.

Em 2015, ano em que a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) foi alvo de ataques misóginos de Bolsonaro, Romão também fez apologia ao estupro ao postar uma foto com o deputado: “Na hora da foto ele disse que o Jean Wyllys queria falar comigo… Aí eu disse que a Maria do Rosário estava esperando ele perto do jardim. Rimos pra cacete!”.

 

 



No artigo

x