Bruna Lombardi ironiza assédio de Trump e cita empoderamento feminino

Na década de 90, a atriz entrevistou o então empresário, no programa "Gente de expressão": "Homem nenhum a gente tem que aguentar falar qualquer desaforo em nome de nada".

744 0

Na década de 90, a atriz entrevistou o então empresário, no programa “Gente de expressão”: “Homem nenhum a gente tem que aguentar falar qualquer desaforo em nome de nada”.

Da Redação*

A atriz, diretora e escritora Bruna Lombardi tem usado as respostas ao assédio de Donald Trump e de Bon Jovi, durante entrevistas na década de 90, em prol do movimento de empoderamento feminino. Ela revelou que a intenção é dar força às mulheres que querem se posicionar. Na década de 90, Bruna foi cantada por Bon Jovi e pelo atual presidente dos Estados Unidos, em entrevistas ao programa “Gente de expressão”. Na época apenas empresário, Trump perguntou se a então apresentadora era casada, e ela rebateu enfaticamente que sim, deixando-o constrangido.

“Eu trabalho muito pelo empoderamento das mulheres. Homem nenhum a gente tem que aguentar falar qualquer desaforo em nome de nada, entendeu? Se você considerar um desaforo, claro. Porque a pessoa pode falar: ‘Ah, claro. Então, ótimo. E topar’. Cada um tem a liberdade de fazer a escolha que quiser”, disse, no “Programa do Fábio Porchat”.

Ao relembrar a cantada de Donald Trump, Bruna ironizou: “Um amigo meu falou: ‘você podia ser a primeira dama dos Estados Unidos’. Pelo amor de Deus. Você vê que sorte que eu tenho?”.

Recentemente, Bruna também viu viralizar o vídeo em que Jon Bon Jovi diz: “Eu gastaria uma grana para te deixar feliz”. Incomodada, ela rebate: “Você está brincando? Dinheiro não me faz feliz. Não mesmo. Eu tenho dinheiro suficiente. Eu tenho minha própria carreira”. Em entrevista na TV, Bruna revelou que, após enquadrar o astro da música, eles desfizeram o mal-estar.

*Com informações do Extra

Foto: Reprodução



No artigo

x