Liquidação geral: Temer vai privatizar até praias e ilhas

Na União Europeia e na China, onde estão os grandes grupos investidores, a notícia causou alvoroço e muitos jornais repercutiram. Um periódico português já deu o veredicto: “A ideia, segundo o ministro do Turismo,...

1862 0

Na União Europeia e na China, onde estão os grandes grupos investidores, a notícia causou alvoroço e muitos jornais repercutiram. Um periódico português já deu o veredicto: “A ideia, segundo o ministro do Turismo, é conseguir dinheiro.”

Por Luiz Henrique Dias

O governo anunciou que vai privatizar áreas naturais como florestas, praias e até ilhas.

A proposta foi anunciada pelo ministro do turismo Marx Beltrão que, apesar do nome sugestivo, não gosta de nada na mão do Estado e disse que o país pode identificar áreas de interesse e “conceder à iniciativa privada”.

Na União Europeia e na China, onde estão os grandes grupos investidores, a notícia causou alvoroço e muitos jornais repercutiram. Um periódico português já deu o veredicto: “A ideia, segundo o ministro do Turismo, é conseguir dinheiro.” Segundo outro periódico alemão “O próximo alvo do Governo brasileiro é incluir o patrimônio natural gigantesco do país, ocupado em parte pela Amazônia, no plano de privatização.”

A notícia vem à tona no exato dia em que Temer bateu o martelo da venda de quatro usinas hidroelétricas operadas pela Cemig e um dia após recuar do decreto que colocava fim a uma enorme reserva na Amazônia.

Comentário

A onda privatista tomou conta do país: querem vender a água, a energia, o petróleo e serviços estratégicos a preço de banana para fazer caixa e pagar juros. Se o país precisa tanto de dinheiro, talvez fosse mais razoável taxar as grandes fortunas, auditar a dívida pública e executar as pendências dos megadevedores.



No artigo

x