Ao contrário de Doria, seu secretário de Cultura defende o MAM

“A liberdade é pressuposto da arte”, disse André Sturm, indo contra a opinião do prefeito que, endossando grupos direitistas com um discurso moralista, atacou o museu e afirmou que arte “tem limite” Por Redação...

808 0

“A liberdade é pressuposto da arte”, disse André Sturm, indo contra a opinião do prefeito que, endossando grupos direitistas com um discurso moralista, atacou o museu e afirmou que arte “tem limite”

Por Redação

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) não perdeu tempo quando começaram, na semana passada, os ataques moralistas ao Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) e, na sexta-feira (29), divulgou um vídeo criticando a performance que gerou polêmica e afirmando que até na arte tem que haver “limites”.

No dia seguinte ao da sua fala, o museu foi tomado por manifestantes que chegaram, inclusive, a agredir fisicamente uma assessora de imprensa.

Muito criticado por agitadores culturais e outras pessoas da área, o secretário municipal de Cultura, André Sturm, foi um pouco mais sensato e discordou de seu chefe. Em um vídeo divulgado nessa segunda-feira (2), Sturm criticou a grita contra o museu e defendeu a liberdade artística.

“A liberdade é pressuposto da arte”, disse, citando exemplos na história da arte mundial em que artistas foram criticados por obras consideradas “polêmicas” e que hoje lotam galerias, museus e estampam livros de história.

No vídeo, Sturm chama atenção ainda para o fato de que a classificação indicativa de exposições e apresentações serve justamente para que o espectador escolha o que ele ou seus filhos podem ver ou não, de acordo com os seus princípios e que, nesse sentido, o MAM cumpriu com todas as exigências.

Leia também: Milhares prometem ficar nus em ato em frente ao Museu de Arte Moderna de SP

Confira o que disse o secretário.



No artigo

x