Metrôs, trens e as promessas quebradas de Alckmin

Um levantamento minucioso das promessas de Alckmin com relação a inaugurações de trens e metrôs foi feito pela Agência Lupa e as conclusões são, mais uma vez, desoladoras.

495 0

Um levantamento minucioso das promessas de Alckmin com relação a inaugurações de trens e metrôs foi feito pela Agência Lupa e as conclusões são, mais uma vez, desoladoras.

Da Redação*

Não chega a ser como a inauguração, por José Serra, da maquete da ponte entre os municípios de Santos e Guarujá mas, como todo bom tucano, Alckmin também vive fazendo das suas. Trocando em miúdos, promete e não cumpre ou, no limite, atrasa.

Um levantamento minucioso de suas promessas com relação a inaugurações de trens e metrôs foi feito pela Agência Lupa, a primeira agência de fact-checking do Brasil, e as conclusões são, mais uma vez, desoladoras.

Veja uma a uma abaixo.

Em 2011, quando Alckmin assumiu seu terceiro mandato, o metrô tinha 60 estações, e a CPTM, 89. De lá para cá, 11 novas paradas de metrô e 3 no sistema ferroviário foram inauguradas. Veja a seguir a série de checagens.

“Até 2014, o metrô de São Paulo ultrapassará os 100 km de extensão”

Nota publicada no portal oficial do Governo do Estado de São Paulo em 24/03/2012

Essa promessa foi repetida algumas vezes pelo governador. Apareceu, por exemplo, numa entrevista concedida ao UOL e à Folha de S. Paulo em agosto de 2012. A meta, no entanto, não foi atingida. Já se passaram três anos do prazo fixado por Alckmin, e o metrô de SP ainda não atingiu 100 quilômetros. Em setembro, segundo o próprio governo, computava 81,1 quilômetros.

Procurada, a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) disse que, devido à crise econômica, o metrô resolveu priorizar as obras mais avançadas e revisou aquelas que ainda começariam. Por isso, as obras do monotrilho da Linha 17-Ouro tiveram seu ritmo reduzido e os contratos de extensão da Linha 2-Verde foram suspensos. Além disso, na Linha 4-Amarela o contrato foi rescindido uma vez que o consórcio vencedor abandonou a obra.

“Eu vou entregar mais cinco estações [na linha 4 do metrô] no ano que vem [2013] e em 2014”

Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, em entrevista ao UOL e à Folha em 16/08/2012

Nessa entrevista, Alckmin respondia, especificamente, sobre seu segundo mandato, que acabou em dezembro de 2014. Apesar da promessa que fez, desde então, somente a estação Fradique Coutinho foi inaugurada na linha que hoje liga a estação da Luz ao Butantã. Essa estação abriu as portas em novembro de 2014, dentro do prazo prometido, mas as outras quatro tiveram novo calendário anunciado pelo governo em agosto de 2016.

Com base neste novo prazo, no entanto, já é possível dizer que a inauguração da parada Higienópolis-Mackenzie está novamente atrasada. De acordo com o projeto, ela ficaria pronta em agosto deste ano. Lá se vão ao menos ao menos dois meses. A população de SP que usa a linha 4 do metrô ainda aguarda também as estações Oscar Freire, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia.

Procurada, a Secretaria de Transportes Metropolitanos disse que as obras foram “paralisadas no final de 2015, quando o consórcio Corsán-Corviam abandonou os serviços”. O Metrô disse ter aplicado multas e com uma nova licitação retomou as obras no ano passado. A nova previsão é de que a “estação Higienópolis-Mackenzie seja aberta em dezembro deste ano, Oscar Freire, em março de 2018, São Paulo-Morumbi, em julho de 2018, e Vila Sônia, no fim de 2019”.

“Em julho [de 2017] nós vamos inaugurar mais três estações aqui da linha 5: Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin”

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em seu Facebook, em 04/02/2017

As estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin foram realmente inauguradas na linha que liga o Capão Redondo à Chácara Klabin, mas isso ocorreu em setembro deste ano, dois meses depois do prazo fixado pelo governador.

Procurada, a Secretaria de Transportes Metropolitanos disse salientar que “construções dessa magnitude estão sujeitas a intercorrências, como demora na obtenção de licenças ambientais e dificuldades nas desapropriações, além de obstáculos que podem surgir durante a execução do projeto em uma cidade bastante adensada e com subsolo parcialmente desconhecido”.

“Até dezembro [de 2017], mais seis estações [na linha 5]”

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em seu Facebook, em 04/02/2017

As promessas relativas à linha 5, que teve seu primeiro trecho inaugurado em 2002, já obedeceram a pelo menos três cronogramas públicos. Em setembro de 2011, o ex-presidente do Metrô Sérgio Avelleda disse que pretendia completar a linha 5 em 2015. Em 2013, o governador prometeu completá-la em 2016. Além disso, depois das seis estações, será necessário entregar a Campo Belo no ano que vem. A linha foi pensada para ligar duas regiões da Zona Sul – Capão Redondo à Chácara Klabin – percorrendo grande trajeto no sudoeste da cidade.

Procurada, a Secretaria de Transportes Metropolitanos disse salientar que “construções dessa magnitude estão sujeitas a intercorrências, como demora na obtenção de licenças ambientais e dificuldades nas desapropriações, além de obstáculos que podem surgir durante a execução do projeto em uma cidade bastante adensada e com subsolo parcialmente desconhecido”.

“A linha 13 [da CPTM] vai de Engenheiro Goulart até o Aeroporto de Cumbica. Está em obra e, daqui a dois anos, está pronta”

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no Fórum de Mobilidade Urbana em 10/2013

A linha da CPTM de 12,2 km, pensada para ligar a Zona Leste de São Paulo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos por trem, não está pronta até hoje. De acordo com o calendário oficial atual, a operação está prevista para começar em março de 2018. As obras foram iniciadas em dezembro de 2013, dois meses após a declaração de Alckmin.

Procurada, a Secretaria de Transportes Metropolitanos disse que “houve alterações no cronograma” devido à demora na obtenção das licenças ambientais e em uma demora maior na aprovação do projeto de transposição das rodovias Presidente Dutra e Ayrton Senna junto às agências ANTT e Artesp, entre outros.

*Com informações da Piauí

Foto: Reprodução



No artigo

x