DataFolha: Pezão tem 3% de aprovação e Crivella 16% de aprovação

Ambos estão em segundo lugar quando se trata de pior governador e prefeito da história do Rio, com 18% e 14%, respectivamente.

865 0

Ambos estão em segundo lugar quando se trata de pior governador e prefeito da história do Rio, com 18% e 14%, respectivamente.

Da Redação

Toda a crise o Rio, seja ela financeira ou de segurança pública, respingam sobre a aprovação do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e do prefeito Marcelo Crivella (PRB). Seus governos são considerados ruins ou péssimos por grande parte dos eleitores da capital fluminense, segundo pesquisa do Datafolha.

Apenas 3% dos entrevistados aprovam o governo de Pezão, enquanto o prefeito evangélico é aprovado por 16% da população. Em termos de desaprovação, governo estadual é considerado ruim ou péssimo por 81% dos cariocas, enquanto a gestão Crivella é desaprovada 40%. Pezão assumiu o posto de governador em abril de 2014, quando Sérgio Cabral enunciou ao mandato, sendo reeleito em outubro do mesmo ano.

Estes números refletem a insatisfação da população do Rio de Janeiro com uma gestão marcada por sucessivos atrasos de salários dos servidores públicos, grave crise fiscal e piora da segurança pública, com disparada de indicadores de criminalidade e consequente insucesso das iniciativa das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora).

Enquanto isso, Crivella está no cargo há nove meses e, neste período, aumentou o IPTU e cortou investimentos em diversas áreas para, segundo ele, tentar evitar atrasos de salários de servidores também no município. Em decreto assinado em setembro, o prefeito chegou a anunciar que só pagaria fornecedores em 2018.

Nota para o governo

Pezão recebeu nota 2 dos entrevistados, enquanto o prefeito Crivella foi um pouco melhor, recebendo 4,5. O Datafolha entrevistou 812 pessoas entre os dias 3 e 4 de outubro. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou menos.

Estes números de Crivella são impulsionados pelos evangélicos. O prefeito, que é bispo licenciado da Igreja Universal e sobrinho de Edir Macedo, tem 27% de aprovação entre eleitores que se declararam pentecostais – nos quais se incluem a Universal e a Assembleia de Deus –, enquanto 26% consideraram sua gestão ruim ou péssima.

O melhor e pior governador da história do Rio de Janeiro
Preso desde novembro do ano passado e condenado por corrupção, Cabral foi apontado como o pior governador do Rio por 38% dos entrevistados, seguido por Pezão, com 18%.

Quando o assunto foi o melhor ocupante do Palácio Guanabara Leonel Brizola foi o mais lembrado, com 14%, único a superar os 10 pontos percentuais. Governador entre os anos de 1983 e 1987, o resultado do pedetista, morto em 2004, é mais alto entre os entrevistados entre 45 e 59 anos, chega a 23%.

O melhor e pior prefeito da história do Rio de Janeiro

César Maia (DEM) e Eduardo Paes (PMDB), que foram os últimos a ocupar o cargo, lideram a lista entre os melhores, com 19% e 17%, respectivamente –um empate técnico.

Por outro lado, Paes também foi o mais citado quando o assunto é pior prefeito, com 15% de indicações. O segundo é o atual prefeito, Marcelo Crivella, com 14%. Pouco mais de um terço (35%) não soube dizer quem é o pior prefeito de todos.

*com informações da Folha
Fotos: Shana Reis / GERJ



No artigo

x