Depois de queda na popularidade, Doria grava vídeo com Alckmin no Palácio dos Bandeirantes

O prefeito, que atribuiu sua queda de popularidade à gestão anterior, agora volta a tentar associar sua imagem ao governador, seu possível adversário dentro do PSDB na escolha do candidato à presidência em 2018 Por...

1195 0

O prefeito, que atribuiu sua queda de popularidade à gestão anterior, agora volta a tentar associar sua imagem ao governador, seu possível adversário dentro do PSDB na escolha do candidato à presidência em 2018

Por Redação

Após nove meses à frente da prefeitura de São Paulo e passar a se dedicar à candidatura presidencial, João Doria (PSDB) despencou quase dez pontos percentuais na aprovação de sua administração, segundo pesquisa Datafolha. O levantamento mostrou que, pela primeira vez, a avaliação regular supera a positiva desde que sua gestão começou, em janeiro.

Para justificar a queda, o prefeito culpou seu antecessor Fernando Haddad (PT). “É importante respeitar pesquisa, eu respeito pesquisa. Estamos com nove meses de gestão à frente da Prefeitura de São Paulo, sem recursos. Temos R$ 7,5 bilhões de déficit no orçamento da prefeitura [em relação à receita prevista pela gestão anterior]. Que foi herança do PT, que nos deixou esse rombo”, disse Doria.

Nesta segunda-feira (9), logo após constatar a queda de popularidade e culpar a gestão anterior, Doria usou uma estratégia diferente: gravou um vídeo ao lado do governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político. O gesto mostra uma tentativa de reaproximação com o intuito de associar novamente sua imagem a dele, já que entre a população população ela já é bem diferente do que quando foi eleito.

Nos últimos meses, Doria e Alckmin trocaram ataques velados e de forma indireta, já que o prefeito tem dado cada vez mais sinais de que se candidatará à presidência em 2018, traindo Alckmin, seu padrinho político e primeiro nome do PSDB para a disputa do Planalto.

No vídeo, Doria faz questão de mostrar uma proximidade com Alckmin. “Governo e prefeitura juntos”, afirmou.

Assista.



No artigo

x