Globo faz matéria sobre identidade de gênero e vai para o Trend Topics como #GloboLixo

Desta vez a emissora acertou. E está sendo achincalhada nas redes

8810 0

Desta vez a emissora acertou. E está sendo achincalhada nas redes

Da Redação*

Desta vez a emissora acertou. Mas, por incrível que pareça, foi parar em primeiro lugar nos Trend Topics Brasil do Twitter com a tag #GloboLixo. A razão foi matéria do Fantástico deste domingo (8) centrada em uma família e uma escola do Rio de Janeiro que não fazem distinção de gênero na hora da escolha dos brinquedos, roupas e até mesmo o tamanho dos cabelos das crianças.

O texto da chamada da matéria diz:

“Thiago e Anne cresceram só com seus brinquedos de menino e de menina. Mas, quando se tornaram pais do Dante, de 5 anos, e do Gael, de 2, decidiram que queriam fazer diferente. Mas eles enfrentam todos os dias pessoas que não concordam e os criticam por comprar uma boneca ou uma cozinha para os filhos, por exemplo.

Em uma escola no Rio, as escolhas das crianças são ouvidas e discutidas com elas e com os pais. Nada é imposto. Na sala de brinquedos, não há diferença entre o que é de menino e o que é de menina. Todo mundo pode brincar com o que quiser, inclusive as fantasias. E, como a criança é livre para criar, até personagens que a gente acha que conhece bem ganham novas características”.

Pronto. A matéria bastou para provocar a ira de internautas que, ironicamente, passaram a chamar a empresa de “Red Globo” entre outras sandices.

As críticas partiram de todos os matizes ideológicos. Desde internautas de esquerda que chamaram a atenção para o fato da emissora ter responsabilidade sobre o fato: “Globo e Veja esta semana lidando com o fascismo que ajudaram a tirar do armário. Olha os posts com #GloboLixo”; até postagens moralistas e virulentas contra a reportagem: “Depois de vêr (sic) o fantástico tentar profissionalizar a pedofilia, chegamos a conclusão que existe vida fora dessa emissora”.

Veja alguns exemplos abaixo:



No artigo

x