Google contraria promotor e diz que só retira vídeo do MAM sob ordem judicial

As imagens feitas no museu incendiaram as redes. O promotor pediu que os vídeos fossem removidos, para preservar a criança indevidamente filmada. O Google afirmou que só seriam removidos por ordem judicial Da Redação*...

963 0

As imagens feitas no museu incendiaram as redes. O promotor pediu que os vídeos fossem removidos, para preservar a criança indevidamente filmada. O Google afirmou que só seriam removidos por ordem judicial

Da Redação*

A coluna de Mônica Bergamo informa que o promotor Eduardo Dias, da Infância e Juventude, está propondo uma ação civil pública para responsabilizar o Google por “massivas violações à dignidade de crianças e adolescentes” ao exibir vídeos da menor que foi filmada tocando um homem nu no MAM (Museu de Arte Moderna) de SP.

As imagens feitas no museu, sem autorização, foram postadas na internet e incendiaram as redes. Quando a polêmica explodiu, o promotor denunciou os vídeos e pediu que eles fossem removidos, para preservar a criança indevidamente filmada. O Google afirmou que o conteúdo não viola suas diretrizes e disse que eles só seriam removidos por ordem judicial.

Já o Facebook informou à promotoria que já retirou as imagens do ar.

O promotor abriu também um inquérito para investigar a conduta do MAM. O museu deve ser multado em 20% do faturamento da exposição por não ter tomado cautelas em relação ao uso de celulares no ambiente. E também por não ter explicitado a faixa etária para a qual a performance seria indicada.

Em resposta a uma consulta do promotor, o Ministério da Justiça afirmou que recomendaria a performance para maiores de 12 anos. O órgão, no entanto, não classifica exposições de arte.

*Com informações da coluna de Mônica Bergamo



No artigo

x