Justiça militar reintegra PM acusado de matar atriz durante blitz

Caso aconteceu em 2014 na cidade de Presidente Prudente (SP). Marcelo Aparecido Domingos Coelho havia sido demitido da PM após atirar na atriz Luana Barbosa durante uma blitz, mas foi absolvido pela Justiça Militar...

1779 0

Caso aconteceu em 2014 na cidade de Presidente Prudente (SP). Marcelo Aparecido Domingos Coelho havia sido demitido da PM após atirar na atriz Luana Barbosa durante uma blitz, mas foi absolvido pela Justiça Militar sob alegação de “legítima defesa”

Por Redação

Um policial militar acusado de matar uma atriz desarmada durante uma blitz vai voltar a atuar pelas ruas de São Paulo. Em decisão publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar, o juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, determinou a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Ele é acusado de matar a atriz e produtora cultural Luana Barbosa após disparar seu revólver durante uma blitz em 2014 na cidade de Presidente Prudente (SP).

Com a acusação, o ex-cabo foi demitido da corporação, mas pouco tempo depois a Justiça Militar o absolveu sob a alegação de “legítima defesa” e “estrito cumprimento do dever legal”.

O juiz, ao determinar a reintegração de Coelho à PM, atendeu a um pedido de sua defesa.

“Considerando-se que, ao menos por ora, não verifico a presença de resíduos administrativos e que a excludente da legítima defesa também figura no Regulamento Disciplinar (art. 34, III), tal circunstância deve repercutir no âmbito disciplinar. Isso porque não é razoável a mesma conduta estar acobertada pela excludente da legítima defesa na ótica penal e sob o ponto de vista disciplinar não”, pontuou o magistrado em sua decisão.

Foto: a atriz Luana Barbosa (Arquivo Pessoal)

 



No artigo

x