Análise do pedido de Battisti para evitar extradição é adiada pelo Supremo

Caso estava na pauta da Primeira Turma nesta terça-feira (24), mas relator adotou medida que retardou o julgamento. Defesa do italiano acionou o Supremo para que ele não seja enviado ao país natal.

466 0

Caso estava na pauta da Primeira Turma nesta terça-feira (24), mas relator adotou medida que retardou o julgamento. Defesa do italiano acionou o Supremo para que ele não seja enviado ao país natal.

Da Redação*

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no início da tarde desta terça-feira (24), adiar a análise de ação que poderá decidir se o ex-ativista político Cesare Battisti pode ou não ser extraditado para a Itália. O julgamento estava marcado para a tarde desta terça, mas o relator do caso, Luiz Fux, decidiu retirar de pauta por motivos processuais: ele converteu o habeas corpus em reclamação, mudando o tipo de ação usado pela defesa de Battisti.

Com isso, é possível que as partes sejam chamadas novamente a se manifestar no processo, o que deixa indefinida, por enquanto, uma nova data para o caso ser levado a julgamento. Um dos órgãos que ainda não opinou é a Procuradoria-Geral da República (PGR), que pediu mais tempo para apresentar seu parecer.

Ministros do STF também consideram que a ação deve ser levada ao plenário da Corte, formada por 11 ministros, e não ser decidida somente pelos cinco da Primeira Turma. A mudança para o colegiado mais amplo foi defendida pela Advocacia Geral da União (AGU), que representa o governo junto à Justiça.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução Twitter



No artigo

x