“Defendo as mulheres, porque estupro é crime hediondo”, diz Eleonora Menicucci, que será julgada nesta terça no caso Alexandre Frota

Ex-ministra de Políticas para Mulheres terá seu julgamento retomado em São Paulo, agora em segunda instância, após ser condenada a indenizar o ator pornô em R$ 10 mil.

943 0

Ex-ministra de Políticas para Mulheres terá seu julgamento retomado em São Paulo, agora em segunda instância, após ser condenada a indenizar o ator pornô em R$ 10 mil.

Da Redação*

Depois de ter sido condenada, em maio, a indenizar em R$ 10 mil o ator pornô Alexandre Frota, a ex-ministra de Políticas para Mulheres Eleonora Menicucci está pronta para a retomada de seu julgamento, agora em segunda instância, marcado para esta terça-feira (24), em São Paulo. Ela já não observa mais seu caso como algo individual. Segundo ela, a nova decisão da Justiça irá influenciar na luta das mulheres brasileiras contra o estupro e o assédio sexual.

“Eu aqui não defendo mais a mim, defendo todas as mulheres brasileiras porque o estupro é um crime hediondo”, afirmou Eleonora Meniccuci. “Se recorri, é porque acredito que os juízes farão justiça. Se mantiverem minha condenação, eles estarão legitimando os crimes de estupro no Brasil”, avalia.

A condenação da ministra ocorreu após ela tê-lo criticado durante um programa de TV. A crítica a Frota foi devido à reunião entre o ator pornô e o ministro da educação Mendonça Filho, logo após ao impeachment de Dilma Rousseff. Ele foi à Brasília dar “conselhos” ao ministro e Eleonora denunciou sua conduta, lembrando o fato de Frota ter declarado que fez sexo com uma mãe de santo desacordada. “Frota não só assumiu ter estuprado uma mulher, mas também faz apologia ao estupro”, disse a ex-ministra à época.

*Com informações da RBA e Diário da Causa Operária

Foto: Paulo Negreiros/SPM.gov



No artigo

x