Crise na UFSC: Reitora em exercício deve entrar em licença por 60 dias

Alacoque Erdmann deve oficializar o pedido na reunião do Conselho Universitário, nesta quarta-feira (1º). Professor Ubaldo Balthazar, decano do Conselho Universitário, é quem deve assumir a reitoria e convocar nova eleição.

848 0

Alacoque Erdmann deve oficializar o pedido na reunião do Conselho Universitário, nesta quarta-feira (1º). Professor Ubaldo Balthazar, decano do Conselho Universitário, é quem deve assumir a reitoria e convocar nova eleição.

Da Redação*

A crise na Universidade Federal de Santa Catarina UFSC) continua tendo desdobramentos. A professora Alacoque Lorenzini Erdmann, reitora em exercício, foi trabalhar cedo nesta segunda-feira (30), mas não se sentiu bem e logo a seguir deixou o campus. A informação dos bastidores da universidade é de que ela se submeteu à uma junta médica, que lhe recomendou 60 dias de licença. Não por acaso, esse é o prazo dado pelo Ministério da Educação para que seja apresentada uma lista tríplice para a Reitoria e Vice-Reitoria. As informações são da coluna Notícias do Dia, de Carlos Damião

O pedido de licença da reitora em exercício deve ser referendado pelo CUn (Conselho Universitário) nesta quarta-feira (1). Na falta de um substituto imediato, quem vai assumir a reitoria interinamente é o decano no CUn, professor Ubaldo César Balthazar, do CCJ (Centro de Ciências Jurídicas), o mesmo a que pertencia o falecido reitor Luis Cancellier. Balthazar, que é o presidente em exercício do CUn, distribuiu a convocação da reunião nesta segunda.

Homenagem

Nesta terça-feira (31), o Congresso Nacional realiza, às 11 horas, uma sessão especial em homenagem à memória do reitor da UFSC, Luiz Cancellier, morto em circunstâncias trágicas no dia 2 de outubro. Haverá fortes pronunciamentos contra o estado de exceção e contra a reiterada violação das garantias individuais definidas pela Constituição Brasileira, como a presunção da inocência e o direito à ampla defesa. A solenidade foi convocada pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR) e pela deputada federal Erika Kokai (PT-DF) e contará com a presença de familiares e amigos de Cancellier, além de magistrados, juristas, parlamentares e reitores de outras instituições de ensino.

Requião é autor do projeto de Lei do Abuso de Autoridade, que deverá receber o nome de Lei Cancellier, prevendo punições a autoridades que extrapolam suas competências para praticar o terrorismo de Estado contra os cidadãos em geral.

Em relação à solenidade, o líder da oposição no Congresso Nacional, deputado federal Décio Lima (PT-SC) disse: “A sessão solene será um ato para denunciar abusos de autoridade, arbitrariedades, assédio moral, constrangimento e truculência nas ações da Justiça Federal junto aos docentes, técnicos e estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)”. Décio também destacou: “O reitor Cau contribuiu muito para o desenvolvimento da democracia e da educação brasileira. O Congresso Nacional prestará solidariedade à família Cancellier e ao estado de Santa Catarina, após o suicídio do reitor. Tenho certeza que a partir desta sessão outras ações serão realizadas para que a UFSC possa voltar a ter tranquilidade para cumprir o seu importante papel acadêmico”.

*Com informações da coluna Notícias do Dia, de Carlos Damião

Foto: Commons



No artigo

x