Ex-advogado da campanha de Holiday acusa vereador de caixa 2; MBL teria o ameaçado de morte

Cleber Teixeira, que se recusou a assinar a prestação de contas, fez a revelação em um vídeo postado nas redes sociais e entregou ao MPF uma série de documentos, prints e gravações que comprovariam...

1341 0

Cleber Teixeira, que se recusou a assinar a prestação de contas, fez a revelação em um vídeo postado nas redes sociais e entregou ao MPF uma série de documentos, prints e gravações que comprovariam recursos não declarados na campanha que elegeu o jovem do MBL em 2014

Por Redação

Ex-advogado da campanha de Fernando Holiday (DEM) à Câmara Municipal de São Paulo, o advogado Cleber Santos Teixeira apresentou na semana passada uma denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) acusando o jovem de caixa 2. Um dos principais líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), Holiday teria feito uso de dinheiro não contabilizado de sua campanha para cobrir gastos como, por exemplo, a mensalidade de sua faculdade.

Às autoridades, Cleber entregou documentos, prints e gravações que comprovam o uso de recursos não declarado.

De acordo com a prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral, a campanha de Holiday arrecadou R$59.164,14 , e terminou com uma sobra de R$543,32. O advogado, no entanto, sustenta que as sobras chegaram a R$11 mil e que, ao todo, não foram declarados cerca de R$20 mil.

Cleber, inclusive, teria se recusado a assinar a prestação de contas, o que, segundo ele, gerou ameaças de morte por parte de integrantes do MBL.

“Eu tenho que escolher pelo direito à minha vida, à minha integridade física, à integridade da minha família. Decidi contar tudo”, disse o advogado. Ele não trabalha mais para o MBL desde o início deste ano.

O jornal El País Brasil teve acesso aos documentos que comprovariam o uso de recursos não declarados. O print abaixo, por exemplo, mostra a campanha dando ordens para que o boleto da faculdade de Holiday fosse pago com o dinheiro de sobra da campanha, que não teria sido declarado.

Ao El País, a assessoria de Holiday, por meio de nota, negou todas as acusações. “Há meses o próprio Fernando Holiday requereu uma severa investigação de suas contas de campanha ao Ministério Público a fim de que fiquem claras as mentiras, porém jornalistas militantes e pessoas expulsas durante a campanha por graves desvios morais e indecente interesse em cargos públicos se aliam para inventar fatos no intuito de desenterrar uma fantasia que, por falta de embasamento, já se demonstrou falsa”.

Confira aqui a reportagem completa.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 



No artigo

x