MP da Bahia abre investigação contra ACM Neto por caixa dois

O executivo André Vidal afirmou em depoimento ao MP que a Odebrecht repassou, em 2012, R$ 2,2 milhões para a campanha de ACM Neto à Prefeitura de Salvador

539 0

O executivo André Vidal afirmou em depoimento ao MP que a Odebrecht repassou, em 2012, R$ 2,2 milhões para a campanha de ACM Neto à Prefeitura de Salvador

Da Redação*

De acordo com a coluna Expresso, da Revista Época, o Ministério Público Eleitoral na Bahia (MPE-BA) instaurou investigação para apurar a denúncia de que o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), recebeu R$ 1,8 milhão, por meio de caixa dois da Odebrecht, nas eleições de 2012.

O executivo André Vidal afirmou em depoimento ao Ministério Público, em abril deste ano, que a construtora Odebrecht repassou, em 2012, R$ 2,2 milhões para a campanha de ACM Neto (DEM) à Prefeitura de Salvador (BA). Segundo Vidal, R$ 400 mil foram doados “via bônus eleitoral” e o outro R$ 1,8 milhão, via caixa 2.

André Vidal é um dos ex-executivos da empreiteira que fecharam acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

No depoimento, André Vidal disse ter se reunido com ACM Neto no primeiro trimestre de 2012, em Salvador. De acordo com o delator, nesse encontro, o político informou que seria candidato a prefeito da capital baiana e que “contava com apoio” da Odebrecht.

“Eu comuniquei ao candidato que nós estávamos na fase de planejamento de campanha e, assim que tivesse com o valor aprovado, voltaria com a informação para ele”, relatou Vidal aos investigadores.

O delator afirmou ainda que, na mesma reunião, ACM Neto apresentou a ele Lucas Cardoso, que seria o “responsável pelo recebimento dos pagamentos da campanha” de 2012.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (13), ACM Neto afirmou que esteve com André Vital e que, nesse encontro, o representante da Odebrecht disse que a empresa estaria disposta a colaborar com a campanha dele em 2012.

“Indiquei um colaborador da nossa campanha para tratar do assunto. Eles se encontraram e ficou acertado que a Odebrecht faria doação para a nossa campanha através do nosso partido, o Democratas. Fato que aconteceu dentro da lei, com tudo registrado na Justiça Eleitoral. Portanto, não houve doação de caixa 2 para a nossa campanha. Estou tranquilo e pronto para prestar todos os esclarecimentos que forem necessários neste caso”, disse ACM Neto.

*Com informações da Época

Foto: Ângelo Pontes/ Agecom



No artigo

x