Bono Vox aparece nos ‘Paradise Papers’ por envolvimento em fraude fiscal

O cantor da banda irlandesa U2 investiu em shopping da Lituânia denunciado em fraude

1410 0

O cantor da banda irlandesa U2 investiu em shopping da Lituânia denunciado em fraude

Da Redação*

De acordo com informações do Poder 360, documentos revelados pelos Paradise Papers apontam que o irlandês Bono Vox, vocalista da banda U2, investiu em um shopping na Lituânia envolvido em fraude fiscal. O cantor seria investidor minoritário da Nude Estates Malta Ltda, empresa sediada em Malta que comprou o shopping Aušra se passando por uma firma lituana em 2007.

A jurisdição de Malta é conhecida pelas baixas taxas de tributação. O shopping foi adquirido pela Nudes Estates logo após o seu lançamento, em 2007. De acordo com o Guardian, a negociação totalizou 5,8 milhões de euros (aproximadamente R$ 22 milhões).

Em 2012, o shopping foi transferido para a empresa Nude Estates 1, sediada em Guernsey, outro país considerado um paraíso fiscal. A escolha teria sido feita para evitar impostos mais altos. Em Malta, investidores estrangeiros pagam 5% sobre os lucros de empresas, enquanto em Guernsey não há taxa. A assessoria de Bono revelou ao The Guardian que o cantor também era investidor minoritário da Nude Estates 1. Três anos depois, a Nude Estates original fechou.

Em nota, a porta-voz de Paul Hewson, verdadeiro nome do cantor, afirmou que ele era “investidor passivo e minoritário” e que a empresa estava “legalmente registrada até o momento em que foi liquidada voluntariamente, em 2015”.  Em comunicado enviado à BBC e The Guardian, o vocalista disse estar “muito angustiado, apesar de ser um investidor minoritário e passivo”.

Segundo Bono, os administradores da empresa “lhe garantiram que ela cumpria totalmente com as obrigações fiscais”. “De qualquer maneira, celebro estas revelações. Levo esta questão muito a sério. Sempre defendi que proprietários de empresas offshore sejam transparentes”, disse.

POLÊMICAS

As finanças de Bono e do U2 foram alvos de críticas na Irlanda há alguns anos. Em 2015, o cantor defendeu a transferência de alguns negócios para paraísos fiscais: “Porque você é ativista as pessoas acham que deve ser burro nos negócios”. Na ocasião, o vocalista disse ainda que considera “sensato” transferir seus negócios para a Holanda, após críticas de que tem protegido milhões de libras em paraísos fiscais no exterior.

Bono é conhecido por promover causas no mundo todo para erradicar a pobreza e lutar contra a Aids na África.

No Brasil, o Poder360 publica com exclusividade as autoridades brasileiras encontradas no banco de dados dos Paradise Papers.

*Com informações do Poder 360

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil



No artigo

x