CBF é punida pela 5ª vez por comportamento homofóbico da torcida brasileira

Fifa anuncia sanções referentes aos últimos jogos entre seleções e definiu uma multa de 10 mil francos suíços para o Brasil pela “conduta imprópria entre os espectadores” no jogo entre a seleção e o Chile, em São Paulo.

509 0

Fifa anuncia sanções referentes aos últimos jogos entre seleções e definiu uma multa de 10 mil francos suíços para o Brasil pela “conduta imprópria entre os espectadores” no jogo entre a seleção e o Chile, em São Paulo.

Da Redação*

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi punida pela quinta vez pelo comportamento homofóbico da torcida brasileira, durante jogos das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018. A Fifa divulgou nesta terça-feira (7) as sanções referentes aos últimos jogos entre seleções e definiu uma multa de 10 mil francos suíços pela “conduta imprópria entre os espectadores” no jogo entre Brasil e Chile no Allianz Parque, realizado no último dia 10 de outubro.

Antes, torcedores da seleção haviam infringido o artigo 67 do código de disciplina da Fifa nos jogos em casa contra Colômbia, Bolívia, Paraguai e Equador. Ao todo, a confederação brasileira recebeu oito punições, que também englobam atrasos no início de jogos e a realização da entrevista coletiva após um jogo em um lugar não oficial. Somando todas as sanções da Fifa, a CBF foi multada em 123 mil francos suíços.

Entre as seleções sul-americanas, a brasileira não foi a que presenciou mais gritos homofóbicos. O Chile é o “campeão”, com nove punições, inclusive em jogos fora de casa – como o contra o Brasil no Allianz Parque. A Argentina tem seis, enquanto o Peru tem os mesmos cinco que o Brasil. Outras torcidas do continente também cometeram a irregularidade, como a da Colômbia, Paraguai e Equador.

Os torcedores sul-americanos, no entanto, não se comparam aos mexicanos, punidos em 12 ocasiões pela Fifa pelos gritos homofóbicos de sua torcida, “tradicionais” especialmente em cobranças de tiro de meta.

*Com informações do UOL

Foto: Reprodução/Sportv



No artigo

x