Ex-goleira dos EUA, Hope Solo acusa Joseph Blatter de assédio sexual: “Apalpou minha bunda”

Segundo a ex-atleta, o episódio aconteceu durante a cerimônia de premiação da Bola de Ouro, em 2013.

1480 0

Segundo a ex-atleta, o episódio aconteceu durante a cerimônia de premiação da Bola de Ouro, em 2013.

Da Redação*

As denúncias de assédio sexual envolvendo pessoas famosas não param. Dessa vez, a ex-goleira dos Estados Unidos, Hope Solo, acusou o ex-presidente da Fifa, Sepp Blatter, de assédio sexual. Segundo ela, o episódio aconteceu durante a cerimônia da Bola de Ouro, em janeiro de 2013, quando Solo apresentou o prêmio de melhor jogadora. Ela o revelou em entrevista publicada nesta sexta-feira pelo jornal português “Tribuna Expresso”.

Hope Solo respondia a perguntas sobre igualdade de gênero e assédio sexual no esporte quando decidiu falar sobre o caso específico. “Ele (Blatter) apalpou a minha bunda. Posso falar sobre isto (em pergunta à assessora)? Foi na entrega da Bola de Ouro há uns anos, mesmo antes de subir ao palco. É algo que se tornou banal”.

Solo acha que as vítimas deveriam ter se manifestado antes. “Estou muito desapontada com as mulheres que não falaram sobre isto no mundo do esporte. Sim, toda a gente tem o direito às suas decisões pessoais, e, sim, é desconfortável, mas gostaria que mais mulheres, sobretudo no futebol, falassem das suas experiências, porque algumas dessas pessoas ainda trabalham no futebol e algumas das jogadoras ainda têm esses comportamentos. É importante que percebamos que isto não acontece apenas com os poderosos homens brancos. Pode acontecer com qualquer pessoa, pode acontecer entre mulheres, pode acontecer em qualquer lugar. Estamos focados nos poderosos homens brancos, porque é provavelmente mais normal com eles, mas pode acontecer em qualquer lado”, revelou.

Hope Solo continuou: “Assisti a isso ao longo de toda a minha carreira e gostaria que mais atletas compartilhassem as suas experiências. É algo descontrolado, e não apenas em Hollywood, é em todo o lado. Durante anos, vi jogadoras que namoravam e acabaram por casar com os seus treinadores da universidade, algo que, obviamente, um treinador não devia fazer, sobretudo com futebolistas tão jovens. Vi situações com os médicos, com os assessores de imprensa, entre jogadoras no vestiário”, completou.

A goleira foi perguntada, então, por que demorou a tornar público o episódio com Blatter: “Falo sempre diretamente com as pessoas envolvidas quando estas coisas acontecem. Por exemplo, já tive de dizer a companheiras minhas: ‘Não me toquem! Não o façam!’. Já aconteceu nos chuveiros, nos vestiários… No caso de Blatter, estava nervosa antes da apresentação. Estava apresentando a Bola de Ouro. Depois disso não voltei a vê-lo. Não tive oportunidade de confrontá-lo e dizer-lhe: ‘Não volte a me tocar!’”. Procurado pelo jornal, Blatter definiu a acusação como “ridícula”.

*Com informações do Globo Esporte

 Foto: Reprodução/Twitter



No artigo

x