Jovem é assassinado ao tentar defender irmã trans de ataque transfóbico em São Paulo

Um feirante de 24 anos enfrentou um transfóbico que agredia sua irmã em uma praça pública, mas foi assassinado após entrar em luta corporal com o agressor e bater a cabeça. Suspeito está foragido Por...

3192 0

Um feirante de 24 anos enfrentou um transfóbico que agredia sua irmã em uma praça pública, mas foi assassinado após entrar em luta corporal com o agressor e bater a cabeça. Suspeito está foragido

Por Redação*

Apesar de ser heterossexual e cisgênero, o feirante Petherson Roberto dos Santos, de 24 anos, foi vítima, nesta quarta-feira (8), de transfobia. Ele deu a vida por sua irmã transexual, Lorena Vicente, que estava sendo agredida por um transfóbico que passava na rua.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado no 92º DP da capital paulista, Lorena estava sentada em um banco público de uma praça da zona sul de São Paulo, em plena luz do dia, quando começou a receber xingamentos transfóbicos de um homem que passava de bicicleta. Ele ainda tentou atirar sua bicicleta contra a jovem.

Petherson, que trabalha na feira que acontece na praça, viu a situação e tentou enfrentar o agressor para defender a irmã. Eles entraram e luta corporal e, em um momento, Petherson caiu no chão e bateu a cabeça. O agressor, por sua vez, continuou desferindo socos no rosto do jovem já desacordado. O SAMU foi chamado mas Peterson morreu no local. O agressor, que foi identificado como Luiz Carlos Mariano, fugiu em sua bicicleta.

A polícia, que ainda não localizou o suspeito, considera a motivação transfóbica do crime. Qualquer informação sobre o agressor deve ser repassada ao Disque-Denúncia, no 181.

*Com informações do NLucon



No artigo

x