Casal de Belém faz ensaio de pré-casamento em manifestação contra Temer

"Estamos muito felizes, nos amamos, mas não dá para se alienar com o momento. Queria pelo menos uma fotinho 'fora temer' porque o que fazemos hoje é também pelo futuro dos nossos filhos e netos”, disse a noiva

1520 0

“Estamos muito felizes, nos amamos, mas não dá para se alienar com o momento. Queria pelo menos uma fotinho ‘fora temer’ porque o que fazemos hoje é também pelo futuro dos nossos filhos e netos”, disse a noiva

Da Redação*

Um casal de paraenses resolveu fazer as fotos do pré-casamento no Dia da Mobilização Nacional, na manhã desta sexta-feira (10), em Belém. Keline Borges, 34 anos, e Pedro Augusto Soares, 52 anos, foram fotografados por Romulo Silva.

A ideia veio a partir de uma conversa do fotógrafo com a noiva. “A noiva é envolvida com os movimentos sociais. E quando fecho meus ensaios e casamentos, mando um texto para o casal falar sobre experiências, tiro duvidas e sempre digo que é bom que o ensaio tenha a ver com a história deles, para que vá ter significado daqui 10 anos, 20 anos e que quando mostrarem para os filhos isso seja uma boa lembrança”, explica.

Foi a partir daí que Keline, contou sobre sua atuação nos movimentos sociais. “Perguntei quando ia ter um protesto desses que eles participariam e ela falou no desta sexta, entramos em acordo na hora. A princípio o noivo não gostou muito, mas acabou curtindo o desafio”, comenta.

A noiva Keline é assistente social, professora e atualmente cursa Direito. Já Pedro Augusto é médico. O casal está unido e há cinco anos. “Contratei o Romulo pela sensibilidade, a gente planejou o ensaio. Eu comecei a pensar que no mundo do casamento parece tudo tão perfeito, mas que toda a minha vida e formação não dava pra deixar de lado o momento que estamos vivendo. É histórico, eu não podia passar por isso sem registrar”, conta a noiva.

Mesmo celebrando a união, o casal entende que o momento não podia passar em branco. “Estamos muito felizes, nos amamos, mas não dá para se alienar com o momento. Queria pelo menos uma fotinho ‘fora temer’ porque o que fazemos hoje é também pelo futuro dos nossos filhos e netos. Não sei se vamos vencer, mas não vamos nos calar, precisamos tentar minimizar os efeitos”, revela.

É a primeira vez que Romulo Silva fotografou um casal dentro de um protesto, geralmente os locais escolhidos são calmos. A mudança foi um desafio, segundo ele. “É muito barulho, a gente perde um pouco o contato, o falar com eles. Tive que gritar muito para eles ouvirem o que eu queria ‘abraça, beija, vira pra cá’, dar o direcionamento. O barulho complicou e ainda tinha muita gente passando na frente, tinhamos que contornar tudo isso. Mas foi muito legal, porque os dois vestidos de branco lá chamavam atenção, muito gente olhando, prestando atenção, o que deixou eles acanhados, mas no final deu tudo certo”, afirma o fotógrafo.

Para a noiva a movimentação foi surpreendente. O ensaio começou às 6h30 ainda no Complexo Feliz Lusitânia, no centro histórico de Belém. “Eu imaginava que ia ser mais discreto. Não esperava todo esse movimento, íamos pegar só o início do protesto. Aí a gente estava de olho fechado, se beijando para uma foto e de repente quando abri os olhos já tinha muita gente nos olhando, mas foi divertido”, relata.

*Com informações do G1

Foto: Rômulo Silva

 



No artigo

x