João Doria decide reabrir shopping fechado por pirataria

O prefeito tucano de São Paulo decidiu reabrir o Shopping 25 de Março, dois meses após ele ser lacrado; empreendimento, famoso ponto de venda de produtos falsificados, pertence a Law Kin Chong, preso sob acusação de ser um dos maiores contrabandistas do País.

543 0

O prefeito tucano de São Paulo decidiu reabrir o Shopping 25 de Março, dois meses após ele ser lacrado; empreendimento, famoso ponto de venda de produtos falsificados, pertence a Law Kin Chong, preso sob acusação de ser um dos maiores contrabandistas do País.

Da Redação*

A administração João Doria (PSDB) decidiu liberar a reabertura do Shopping 25 de Março, no centro de São Paulo, dois meses depois de ele ser lacrado em megaoperação contra a pirataria. A informação é Thais Bilenky e Giba Bergamin Jr., da Folha de S.Paulo.

O secretário municipal de Justiça, Anderson Pomini, prevê a assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) nesta terça-feira (14). Nele, os donos se comprometem a não vender produtos ilegais, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia, em caso de descumprimento. O centro comercial foi fechado pela prefeitura em setembro, após a Receita Federal identificar que comerciantes que alugavam os boxes vendiam produtos piratas.

A decisão gerou embate dentro da própria gestão Doria – e foi um dos motivos para a demissão de Fabio Lepique da secretaria-adjunta de Prefeituras Regionais. Ligado ao vice-prefeito, Bruno Covas, Lepique protestou contra as articulações de Pomini para a reabertura do shopping.

No final de outubro, Thomas Law, filho do proprietário do shopping, Law Kin Chong, retomou a negociação com a gestão Doria, por intermédio de Pomini. Law sugeriu a revalidação do TAC, antes da entrega de todos os documentos exigidos, mas enfrentou resistência.

*Com informações da Folha de S.Paulo e do Brasil 247

Foto: Reprodução/Facebook

 



No artigo